Nossa Sede

Avenida Genésia B. Tarantino, 115 - Jardim Paulista - São José dos Campos/SP - Fone: 12 3302-5996


  • Participação nos Lucros

    Acompanhe as últimas informações sobre a PLR

  • Edição 86 #

    lEIA O JORNAL CORREIO DO TRABALHADOR

  • Demissão Irregular #

    Carteiro é reintegrado em Ubatuba

  • Lucro só aumenta:

    E a PLR?

  • quinta-feira, 30 de outubro de 2014

    Em contato com a DR-SPI fomos informados que os valores das diferenças serão pagas corretamente, diferente do que está lançado no site da Ticket.


    Segue abaixo o cálculo das diferenças, considerando a mudança do valor de 28,29 para 30,13 reais:

    Diferenças dos 23 vales: 1,84x23= 42,32 reais x 3 (agosto, setembro e outubro)= R$ 126,96


    03 folhas a mais: 30.13 x 3 = R$ 90,39 x 3 (agosto, setembro e outubro) = R$ 271,17

    Vale Cesta: 1 folha a mais: 30,13 x 3 (agosto, setembro e outubro) = R$ 90,39

    03 folhas a mais: 30.13 x 3 = R$ 90,39 x 3 (agosto, setembro e outubro) = R$ 271,17

    Vale Cesta: 1 folha a mais: 30,13 x 3 (agosto, setembro e outubro) = R$ 90,39


    Total............................................................................................R$ 488,52

    Diferenças dos 27 vales: 1,84x27= 49,68 reais x 3 (agosto, setembro e outubro)= R$ 149,04

    Total.............................................................................................R$ 510,60

    Informações sobre a diferença nos Ticket´s

    Postado As:  06:52  |  Em:    |  Mais informações »

    Em contato com a DR-SPI fomos informados que os valores das diferenças serão pagas corretamente, diferente do que está lançado no site da Ticket.


    Segue abaixo o cálculo das diferenças, considerando a mudança do valor de 28,29 para 30,13 reais:

    Diferenças dos 23 vales: 1,84x23= 42,32 reais x 3 (agosto, setembro e outubro)= R$ 126,96


    03 folhas a mais: 30.13 x 3 = R$ 90,39 x 3 (agosto, setembro e outubro) = R$ 271,17

    Vale Cesta: 1 folha a mais: 30,13 x 3 (agosto, setembro e outubro) = R$ 90,39

    03 folhas a mais: 30.13 x 3 = R$ 90,39 x 3 (agosto, setembro e outubro) = R$ 271,17

    Vale Cesta: 1 folha a mais: 30,13 x 3 (agosto, setembro e outubro) = R$ 90,39


    Total............................................................................................R$ 488,52

    Diferenças dos 27 vales: 1,84x27= 49,68 reais x 3 (agosto, setembro e outubro)= R$ 149,04

    Total.............................................................................................R$ 510,60

    quarta-feira, 29 de outubro de 2014

    Proposta de PLR rejeitada por ampla maioria na assembleia de ontem, dia 28.

    A assembleia realizada pelo Sintect-VP ontem, dia 28 de outubro, novamente rejeitou a proposta de PLR rebaixada e muito inferior a do ano passado.

    A empresa apresentou como proposta o pagamento da PLR 2013 até outubro deste ano, em R$ 614,90 para faixas salariais até R$ 4 mil, e R$ 711,00 para faixas acima de R$ 8 mil, desde que fossem aprovadas as propostas para os três anos, (2013, 2014, 2015) atrelados.
    Recusada anteriormente, essa proposta foi repensada pelo ministro, que apresentou uma tentativa de acordo à ser levada para novas assembleias no país e que também passará pela aprovação da direção dos Correios. 
    Esta tentativa de acordo prevê o pagamento da PLR 2013 até o final de outubro, atrelada a de 2014, sob os mesmos critérios. E o pagamento da PLR 2015 a ser discutido até a data limite de 17 de novembro de 2014. 
    Os Sindicatos tinham o prazo maxímo até ontem, dia 28, para a realização das assembleias. Na base do Sintect-VP a proposta foi novamente rejeitada. Caso o mesmo ocorra nos demais sindicatos e com a ECT, o ministro Ives Gandra irá se retirar da mediação e a empresa realizará o pagamento da PLR 2013 por menos de R$ 300,00, como forma de adiantamento das negociações.

    Assembleia novamente rejeita proposta de PLR

    Postado As:  07:15  |  Em:    |  Mais informações »

    Proposta de PLR rejeitada por ampla maioria na assembleia de ontem, dia 28.

    A assembleia realizada pelo Sintect-VP ontem, dia 28 de outubro, novamente rejeitou a proposta de PLR rebaixada e muito inferior a do ano passado.

    A empresa apresentou como proposta o pagamento da PLR 2013 até outubro deste ano, em R$ 614,90 para faixas salariais até R$ 4 mil, e R$ 711,00 para faixas acima de R$ 8 mil, desde que fossem aprovadas as propostas para os três anos, (2013, 2014, 2015) atrelados.
    Recusada anteriormente, essa proposta foi repensada pelo ministro, que apresentou uma tentativa de acordo à ser levada para novas assembleias no país e que também passará pela aprovação da direção dos Correios. 
    Esta tentativa de acordo prevê o pagamento da PLR 2013 até o final de outubro, atrelada a de 2014, sob os mesmos critérios. E o pagamento da PLR 2015 a ser discutido até a data limite de 17 de novembro de 2014. 
    Os Sindicatos tinham o prazo maxímo até ontem, dia 28, para a realização das assembleias. Na base do Sintect-VP a proposta foi novamente rejeitada. Caso o mesmo ocorra nos demais sindicatos e com a ECT, o ministro Ives Gandra irá se retirar da mediação e a empresa realizará o pagamento da PLR 2013 por menos de R$ 300,00, como forma de adiantamento das negociações.

    terça-feira, 28 de outubro de 2014


    Trabalhadores ecetistas do CDD Flórida em Jacareí, estão cobrando melhores condições de trabalho e Equipamentos de Proteção Individual, os EPI´s.
    Os ecetistas afirmam que não têm equipamentos de proteção individual e temem acidentes de trabalho.
    O diretor sindical do Sintect-VP, Anderson Montes, afirma que além dos tralhadores estarem sobrecarregados, a ECT não atende as solicitações por mais EPI´s e manutenção dos equipamentos.
    "Os trabalhadores são forçados a trabalhar com botas rasgadas, equipamentos sem regular manutenção e até sem os EPI´s, que são de responsabilidade da Empresa. Somos forçados a grande sobrecarga de trabalho sem que a direção dos Correios ofereça nenhuma estrutura para esta demanda de trabalho.", declarou Anderson Montes
    Os funcionários desta unidade não escondem o medo de que acidentes de trabalho aconteçam devido a precariedade dos equipamentos.

    Trabalhadores do CDD Flórida denunciam falta de Equipamentos de Proteção Individual

    Postado As:  06:03  |  Em:    |  Mais informações »


    Trabalhadores ecetistas do CDD Flórida em Jacareí, estão cobrando melhores condições de trabalho e Equipamentos de Proteção Individual, os EPI´s.
    Os ecetistas afirmam que não têm equipamentos de proteção individual e temem acidentes de trabalho.
    O diretor sindical do Sintect-VP, Anderson Montes, afirma que além dos tralhadores estarem sobrecarregados, a ECT não atende as solicitações por mais EPI´s e manutenção dos equipamentos.
    "Os trabalhadores são forçados a trabalhar com botas rasgadas, equipamentos sem regular manutenção e até sem os EPI´s, que são de responsabilidade da Empresa. Somos forçados a grande sobrecarga de trabalho sem que a direção dos Correios ofereça nenhuma estrutura para esta demanda de trabalho.", declarou Anderson Montes
    Os funcionários desta unidade não escondem o medo de que acidentes de trabalho aconteçam devido a precariedade dos equipamentos.

    quinta-feira, 16 de outubro de 2014

    Na última quarta-feira, dia 14, o Ministério do Trabalho e EMprego publicou no Diário Oficial da União, a portaria que aprova o Anexo V da NR-16, regulamentando os 30% de adicional de periculosidade aos motociclistas.
    O adicional de periculosidade corresponde a 30% do salário do empregado, sem os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou participações nos lucros da empresa e o direito incide sobre a aposentadoria do trabalhador.












    Criado pela lei 12.997, de 18 de junho de 2014, a norma foi acrescentada ao § 4º ao art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.


    Os carteiros motorizados já recebem o adicional de risco, mas diante desta lei, deveriam passar a receber os dois adicionais, porém a Empresa já declarou que pagará somente um.

    O Sintect-VP enviou uma notificação para que a ECT faça valer os direitos e pague todos os adicionais previstos. Tal medida foi informada aos trabalhadores que estiveram presentes na assembleia de quarta-feira, dia 15.

    Fonte: Site Ministério do Trabalho e Emprego - 15/10/2014

    Sintect-VP envia notificação para ECT fazer o pagamento do adicional de periculosidade aos motociclistas

    Postado As:  10:34  |  Em:    |  Mais informações »

    Na última quarta-feira, dia 14, o Ministério do Trabalho e EMprego publicou no Diário Oficial da União, a portaria que aprova o Anexo V da NR-16, regulamentando os 30% de adicional de periculosidade aos motociclistas.
    O adicional de periculosidade corresponde a 30% do salário do empregado, sem os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou participações nos lucros da empresa e o direito incide sobre a aposentadoria do trabalhador.












    Criado pela lei 12.997, de 18 de junho de 2014, a norma foi acrescentada ao § 4º ao art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.


    Os carteiros motorizados já recebem o adicional de risco, mas diante desta lei, deveriam passar a receber os dois adicionais, porém a Empresa já declarou que pagará somente um.

    O Sintect-VP enviou uma notificação para que a ECT faça valer os direitos e pague todos os adicionais previstos. Tal medida foi informada aos trabalhadores que estiveram presentes na assembleia de quarta-feira, dia 15.

    Fonte: Site Ministério do Trabalho e Emprego - 15/10/2014


    O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quarta-feira (15) que imóveis pertencentes à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) não precisam pagar aos municípios o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).
    Segundo o entendimento do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) de que os Correios teriam direito à isenção tributária por desempenharem atividade de natureza tipicamente pública e de responsabilidade da União.

    O artigo 150 da Constituição Federal institui a chamada "imunidade recíproca", ao proibir que União, estados e municípios instituam impostos sobre bens, patrimônios e serviços uns dos outros. 
    No entanto, a maioria do plenário do STF decidiu que os imóveis da empresa pública não precisam pagar o imposto. Para os ministros, os Correios têm direito à imunidade porque desempenham serviço público de caráter obrigatório e de competência exclusiva do Estado.


    Diversos municípios ingressaram no processo como interessados, inclusive a cidade de São Paulo. Em nome da capital paulista, a procuradora Simone Coutinho afirmou que os Correios devem ao município mais de R$ 170 milhões em IPTU.

    Além dos lucros, ECT tem isenção de impostos! Supremo decide que Correios não precisam pagar IPTU sobre imóveis

    Postado As:  10:18  |  Em:    |  Mais informações »


    O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quarta-feira (15) que imóveis pertencentes à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) não precisam pagar aos municípios o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).
    Segundo o entendimento do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) de que os Correios teriam direito à isenção tributária por desempenharem atividade de natureza tipicamente pública e de responsabilidade da União.

    O artigo 150 da Constituição Federal institui a chamada "imunidade recíproca", ao proibir que União, estados e municípios instituam impostos sobre bens, patrimônios e serviços uns dos outros. 
    No entanto, a maioria do plenário do STF decidiu que os imóveis da empresa pública não precisam pagar o imposto. Para os ministros, os Correios têm direito à imunidade porque desempenham serviço público de caráter obrigatório e de competência exclusiva do Estado.


    Diversos municípios ingressaram no processo como interessados, inclusive a cidade de São Paulo. Em nome da capital paulista, a procuradora Simone Coutinho afirmou que os Correios devem ao município mais de R$ 170 milhões em IPTU.



    A assembleia de quarta-feira, dia 15, também debateu a provocação que a ECT fez concedendo GIP e CIP altíssimo para o alto escalão dos Correios.
    Após o informe passado por Marcílio Medeiros, os trabalhadores se revoltaram pois o Primeira Hora não havia sido lido em todas as unidades por conta da questão das gratificações para a chefia.
    Além da GIP (Gratificação de Incentivo à Produção), o alto escalão dos Correios, gestores e supervisores irão receber também a CIP (Complemento de Incentivo à Produtividade). 
    Isto é uma afronta, uma grande provocação da Empresa, logo após a Campanha Salarial rebaixada que nos foi imposta. Agora, a direção da ECT irá receber mais 6,5% de gratificação com o CIP, sem sequer ter sido discutido em nenhuma assembleia sobre a Campanha Salarial.
    Em outras palavras, só com a GIP o presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, passará a receber R$ 44.712,56, o que equivale a R$ 536 mil de salário por ano!

    Este dinheiro será destinado apenas aos gestores e assessores especiais, cargos criados basicamente para empregar os "amigos" do governo do PT. Com a reeleição de Dilma, essa turma toda continuará sugando o lucro que é extraído do suor do nosso trabalho. É por isso que os sindicatos governistas fazem de tudo para desmobilizar a luta da categoria e blindar o governo Dilma até a eleição.

    Com o governo do PSDB também não podemos esperar atitude diferente. Foram esses tucanos que iniciaram os processos de privatização dos Correios. Cabe a nós nos unirmos para fortalecer nossas lutas e acabar com as injustiças e ataques impostos pela empresa.

    Só com a GIP, presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, receberá R$ 44.712,56 por mês! Assembleia aprova carta de repúdio sobre gratificação para a chefia!

    Postado As:  10:04  |  Em:    |  Mais informações »



    A assembleia de quarta-feira, dia 15, também debateu a provocação que a ECT fez concedendo GIP e CIP altíssimo para o alto escalão dos Correios.
    Após o informe passado por Marcílio Medeiros, os trabalhadores se revoltaram pois o Primeira Hora não havia sido lido em todas as unidades por conta da questão das gratificações para a chefia.
    Além da GIP (Gratificação de Incentivo à Produção), o alto escalão dos Correios, gestores e supervisores irão receber também a CIP (Complemento de Incentivo à Produtividade). 
    Isto é uma afronta, uma grande provocação da Empresa, logo após a Campanha Salarial rebaixada que nos foi imposta. Agora, a direção da ECT irá receber mais 6,5% de gratificação com o CIP, sem sequer ter sido discutido em nenhuma assembleia sobre a Campanha Salarial.
    Em outras palavras, só com a GIP o presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, passará a receber R$ 44.712,56, o que equivale a R$ 536 mil de salário por ano!

    Este dinheiro será destinado apenas aos gestores e assessores especiais, cargos criados basicamente para empregar os "amigos" do governo do PT. Com a reeleição de Dilma, essa turma toda continuará sugando o lucro que é extraído do suor do nosso trabalho. É por isso que os sindicatos governistas fazem de tudo para desmobilizar a luta da categoria e blindar o governo Dilma até a eleição.

    Com o governo do PSDB também não podemos esperar atitude diferente. Foram esses tucanos que iniciaram os processos de privatização dos Correios. Cabe a nós nos unirmos para fortalecer nossas lutas e acabar com as injustiças e ataques impostos pela empresa.

    Represas do Vale estão no nível mais baixo em dez anosRepresas do Vale estão no nível mais baixo em dez anosProtesto contra falta d'água em Itu
    Fonte: SindmetalSJC

    A crise de falta d’água afeta cada vez mais cidades do estado de São Paulo e começa a causar protestos por parte da população que se revolta.
    A falta de investimentos e de política do governo paulista (PSDB) para enfrentar o problema é o grande culpado por esta seca.

    Na grande São Paulo, todas as regiões já são afetadas em intervalos que vão desde algumas horas até alguns dias sem o serviço! E quando o recurso chega, é de qualidade ruim, com cor escura e forte odor de peixe, segundo moradores ouvidos.
    Indignados com a situação, moradores de Itu e Campinas realizaram protestos esta semana. Sem água há seis dias, moradores da periferia de Campinas fecharam uma avenida da cidade, nesta terça-feira, dia 14. 

    Em Itu, moradores interditaram as rodovias SP-75 e SP-79 na noite desta segunda-feira. Os protestos na cidade vêm acontecendo desde o mês passado, quando a população chegou a fazer uma manifestação em frente à Câmara cobrando medidas para resolver o problema.

    Descaso
    Apesar de a empresa reconhecer que a água na cidade de São Paulo pode acabar em novembro se não voltar a chover, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) segue negando a existência de racionamento.

    Para especialistas, entretanto, a crise hídrica que afeta o estado está relacionada não apenas à escassez de chuvas, mas sobretudo à falta de planejamento do governo. 

    Seca era prevista, mas investimentos não foram feitos!
    Em 2009, o relatório final do Plano da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, elaborado pela Fundação de Apoio à USP (Universidade de São Paulo), já alertava para o risco de desabastecimento da Região Metropolitana de São Paulo com o colapso do Sistema Cantareira. 

    Já naquela época, os dados mostravam que as represas que abastecem o sistema estavam gastando mais água do que recebendo. Além disso, a Sabesp chega a perder 40% da água potável com tubulações mal conservadas. 

    Apesar disso, a empresa não investiu em novos reservatórios nem na melhoria do sistema de distribuição.
    Na opinião da diretora da ONU (Organização das Nações Unidas) para assuntos relacionados à água, Catarina Albuquerque, a crise hídrica de São Paulo não é culpa de São Pedro, mas sim do governo. 

    "Concordo que a seca pode ser importante. Mas o racionamento de água precisa ser previsto e os investimentos necessários precisam ser feitos", disse em entrevista à Folha. "A responsabilidade é do Estado, que precisa garantir investimentos em momentos de abundância", insistiu.

    Privatização da Sabesp só piorou o fornecimento
    Desde que a Sabesp foi transformada em uma empresa de capital misto (público e privado), sua função tem sido a de garantir os lucros dos acionistas e não o investimento para melhoria dos serviços. Em 2003, por exemplo, 60,5% do lucro líquido da Sabesp foram parar no caixa de acionistas, dinheiro que poderia ter feito a diferença se fosse investido em obras para aumento da captação e tratamento de água. 

    Atualmente, 50,3% de seu controle acionário se encontram nas mãos do Estado, enquanto 47,7% das ações são de propriedade de investidores brasileiros (25,5%) e estrangeiros (24,2%).

    Para a relatora da ONU, não faz sentido a Sabesp ter suas ações comercializadas na Bolsa de Nova York e de São Paulo (Bovespa), enquanto a população tem de conviver com a falta d’água. "Antes de repartir lucros, a empresa precisa investir para garantir que todos tenham acesso à água", declarou.


    Situação no Vale
    No Vale do Paraíba a situação não é das melhores. O volume de armazenamento dos quatro reservatórios da bacia do Rio Paraíba do Sul chegou a 12,3%, no inicio do mês, segundo a Agência Nacional de Águas (ANA). É o menor índice registrado na última década. 

    O estado mais crítico é o do reservatório de Paraibuna, que chegou a 8,42% do volume útil e colocou a região sob alerta. 

    Alerta: Falta d´agua em São Paulo é grave! Seca já era prevista, mas investimentos não foram feitos.

    Postado As:  09:02  |  Em:    |  Mais informações »

    Represas do Vale estão no nível mais baixo em dez anosRepresas do Vale estão no nível mais baixo em dez anosProtesto contra falta d'água em Itu
    Fonte: SindmetalSJC

    A crise de falta d’água afeta cada vez mais cidades do estado de São Paulo e começa a causar protestos por parte da população que se revolta.
    A falta de investimentos e de política do governo paulista (PSDB) para enfrentar o problema é o grande culpado por esta seca.

    Na grande São Paulo, todas as regiões já são afetadas em intervalos que vão desde algumas horas até alguns dias sem o serviço! E quando o recurso chega, é de qualidade ruim, com cor escura e forte odor de peixe, segundo moradores ouvidos.
    Indignados com a situação, moradores de Itu e Campinas realizaram protestos esta semana. Sem água há seis dias, moradores da periferia de Campinas fecharam uma avenida da cidade, nesta terça-feira, dia 14. 

    Em Itu, moradores interditaram as rodovias SP-75 e SP-79 na noite desta segunda-feira. Os protestos na cidade vêm acontecendo desde o mês passado, quando a população chegou a fazer uma manifestação em frente à Câmara cobrando medidas para resolver o problema.

    Descaso
    Apesar de a empresa reconhecer que a água na cidade de São Paulo pode acabar em novembro se não voltar a chover, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) segue negando a existência de racionamento.

    Para especialistas, entretanto, a crise hídrica que afeta o estado está relacionada não apenas à escassez de chuvas, mas sobretudo à falta de planejamento do governo. 

    Seca era prevista, mas investimentos não foram feitos!
    Em 2009, o relatório final do Plano da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, elaborado pela Fundação de Apoio à USP (Universidade de São Paulo), já alertava para o risco de desabastecimento da Região Metropolitana de São Paulo com o colapso do Sistema Cantareira. 

    Já naquela época, os dados mostravam que as represas que abastecem o sistema estavam gastando mais água do que recebendo. Além disso, a Sabesp chega a perder 40% da água potável com tubulações mal conservadas. 

    Apesar disso, a empresa não investiu em novos reservatórios nem na melhoria do sistema de distribuição.
    Na opinião da diretora da ONU (Organização das Nações Unidas) para assuntos relacionados à água, Catarina Albuquerque, a crise hídrica de São Paulo não é culpa de São Pedro, mas sim do governo. 

    "Concordo que a seca pode ser importante. Mas o racionamento de água precisa ser previsto e os investimentos necessários precisam ser feitos", disse em entrevista à Folha. "A responsabilidade é do Estado, que precisa garantir investimentos em momentos de abundância", insistiu.

    Privatização da Sabesp só piorou o fornecimento
    Desde que a Sabesp foi transformada em uma empresa de capital misto (público e privado), sua função tem sido a de garantir os lucros dos acionistas e não o investimento para melhoria dos serviços. Em 2003, por exemplo, 60,5% do lucro líquido da Sabesp foram parar no caixa de acionistas, dinheiro que poderia ter feito a diferença se fosse investido em obras para aumento da captação e tratamento de água. 

    Atualmente, 50,3% de seu controle acionário se encontram nas mãos do Estado, enquanto 47,7% das ações são de propriedade de investidores brasileiros (25,5%) e estrangeiros (24,2%).

    Para a relatora da ONU, não faz sentido a Sabesp ter suas ações comercializadas na Bolsa de Nova York e de São Paulo (Bovespa), enquanto a população tem de conviver com a falta d’água. "Antes de repartir lucros, a empresa precisa investir para garantir que todos tenham acesso à água", declarou.


    Situação no Vale
    No Vale do Paraíba a situação não é das melhores. O volume de armazenamento dos quatro reservatórios da bacia do Rio Paraíba do Sul chegou a 12,3%, no inicio do mês, segundo a Agência Nacional de Águas (ANA). É o menor índice registrado na última década. 

    O estado mais crítico é o do reservatório de Paraibuna, que chegou a 8,42% do volume útil e colocou a região sob alerta. 

    Parcerias-Ajuda-Contato
    Copyright © 2013 Traduzido Por: Template Para Blogspot by BloggerTheme9
    Proudly Powered by Blogger.
    back to top