Nossa Sede

Avenida Genésia B. Tarantino, 115 - Jardim Paulista - São José dos Campos/SP - Fone: 12 3302-5996


  • Grande Vitória!

    Trem da Alegria começa a ser pago aos trabalhadores!

  • Edição 86 #

    lEIA O JORNAL CORREIO DO TRABALHADOR

  • Demissão Irregular #

    Carteiro é reintegrado em Ubatuba

  • Lucro só aumenta:

    E a PLR?

  • quarta-feira, 24 de junho de 2015



    EIXOS E CALENDÁRIO DE LUTAS DA CAMPANHA SALARIAL 2015/2016


    EIXOS:

    • FIM DA TERCEIRIZAÇÃO, CONCURSO PÚBLICO JÁ!

    • FIM DO EXCESSO DE TRABALHO E DAS HORAS EXTRAS;

    • REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 35HS (SÁBADO LIVRE) SEM REDUÇÃO DE SALÁRIOS;

    • ENTREGA DE CORRESPONDÊNCIAS SOMENTE PELA MANHÃ;

    • POR MEDIDAS ADEQUADAS DE SEGURANÇA QUE EVITEM OS ASSALTOS AOS TRABALHADORES;

    • PELO FIM DO ASSEDIO MORAL E SINDICAL PELAS CHEFIAS;

    • REESTRUTURAÇÃO É PRIVATIZAÇÃO, NÃO A PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS!

    • NÃO AO “ROMBO” DO POSTALIS! NENHUM DESCONTO PARA OS TRABALHADORES E QUE A DIREÇÃO DA ECT E OS RESPONSÁVEIS ARQUEM COM AS CONSEQUÊNCIAS.

    • NÃO AO POSTAL SAÚDE! PELO RETORNO DOS CORREIOS SAÚDE E RECREDENCIAMENTO DE TODA A REDE.

    • PELO AADC DOS CARTEIROS MOTORIZADOS, SEM PREJUÍZO DO ADICIONAL DE PERICULOSIDADE NEM DA FUNÇÃO.

    CALENDÁRIO DE LUTAS

    Para organizar a Campanha Salarial e fortalecer o movimento propomos o seguinte CALENDÁRIO NACIONAL DE LUTAS:

    23 e 24/06/2015 • SISTEMATIZAÇÃO DA PAUTA

    25/06/2015 • ENVIO DA PAUTA SISTEMATIZADA PARA OS SINDICATOS E OPOSIÇÕES RECONHECIDAS

    26 e 27/06/2015 • ASSEMBLEIAS PARA REFERENDO DA PAUTA E ESCOLHA DE REPRESENTANTE SINDICAL PARA COMPOR O COMANDO NACIONAL DE NEGOCIAÇÃO E MOBILIZAÇÃO EM BSB

    30/06/2015 • INSTALAÇÃO DO COMANDO DE NOGOCIACAO EM BRASILIA
    • ENVIO DO JORNAL DA FENTECT COM ENVIO DA PAUTA PARA OS SINDICATOS E OPOSIÇÕES

    01/07/2015 • ENTREGA DA PAUTA À ECT

    07/07 a 1/07/2015 • REUNIÕES SETORIAIS, PLENÁRIAS E SEMINÁRIOS NAS BASES SINDICAIS PARA INFORMAR A CATEGORIA SOBRE OS EIXOS DA CAMPANHA SALARIAL VISANDO MOBILIZÁ-LA

    • CONFECÇÃO DE CARTAZES E ADESIVOS SOBRE A CAMPANHA

    15/07/2015 • INICIO DAS NEGOCIAÇOES COM A ECT

    15 a 18/07/2015 • DISTRIBUIÇÃO DO MATERIAL DE CAMPANHA, MOBILIZAÇÃO E CARRO DE SOM NA BASE

    22/07/2015 • ASSEMBLEIA GERAL DE PLANEJAMENTO DA CAMPANHA E ESCOLHA DE REPRESENTANTES PARA ENCONTROS SINDICAIS POR REGIÃO

    27/07 A 01/08/15 • AGITAÇÃO NAS BASES

    • 27/07 DIA NACIONAL DE LUTA MOTOCICLISTA COM ATO NOS TRTs

    • 28/07 DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO SUDESTE

    06/08/2015 • ASSEMBLÉIA DE AVALIAÇÃO DA CAMPANHA

    09 e 10/08/2015 • PLENÁRIAS OU SEMINÁRIOS POR REGIÃO DE CADA SINDICATO (INTERIOR)

    13/08/2015 • AUDIÊNCIAS PÚBLICAS NAS CÂMARAS MUNICIPAIS E ASSEMBLEIAS LEGISLATIVAS CONTRA A TERCEIRIZAÇÃO NA ECT E REQUERENDO REALIZAÇÃO DE CONCURSO PUBLICO IMEDIATO

    11 a 15/08/2015 • AGITAÇÃO NAS BASES (SOM, CARTAZES, etc)

    18/08/2015 • ASSEMBLEIAS PARA AVALIAÇÃO DO MOVIMENTO E ESCOLHA DE DELEGADOS PARA PLENÁRIA NACIONAL DA FENTECT

    21/08/2015 • ATO PUBLICO EM FRENTE AO EDIFÍCIO SEDE EM BSB

    21 E 22/08/2015 • PLENÁRIA NACIONAL DA FENTECT PARA AVALIAR A CAMPANHA SALARIAL E TIRAR ENCAMINHAMENTOS

    25/08/2015 • ELABORAÇÃO DE JORNAL NACIONAL DA FENTECT COM OS ENCAMINHAMENTOS DA PLENÁRIA PARA OS TRABALHADORES VIA SINDICATOS

    • DIA NACIONAL DE LUTA PELA ANISTIA

    • DIA NACIONAL DOS ATENDENTES COMERCIAIS

    26/08/2015 • ENVIO DOS JORNAIS PARA OS SINDICATOS E OPOSIÇÕES RECONHECIDAS

    28/08/2015 • ATOS PUBLICOS COM CATEGORIAS E MOVIMENTOS SOCIAIS DE APOIO AOS TRABALHADORES EM FRENTE AS SEDES REGIONAIS DA ECT

    01 A 07/09/2015 • ASSEMBLEIAS PARA VOTAÇÃO DO ESTADO DE GREVE

    07/09/15 • GRITO DOS EXCLUÍDOS E DENUNCIA CONTRA A PRIVATIZAÇÃO E SUCATEAMENTO DA ECT

    08 a 10/09/2015 • AGITAÇÃO NAS BASES E FIM DO PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO COM A ECT (10/09)

    14/09/15 • DATA LIMITE PARA AS NEGOCIAÇÕES


    15/09/15 • ASSEMBLEIA PARA DEFLAGRAÇÃO DE GREVE GERAL A PARTIR DAS 22H.

    Eixos e calendário de lutas da nossa Campanha Salarial 2015/2016. Vamos à luta!

    Postado As:  12:17  |  Em:    |  Mais informações »



    EIXOS E CALENDÁRIO DE LUTAS DA CAMPANHA SALARIAL 2015/2016


    EIXOS:

    • FIM DA TERCEIRIZAÇÃO, CONCURSO PÚBLICO JÁ!

    • FIM DO EXCESSO DE TRABALHO E DAS HORAS EXTRAS;

    • REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 35HS (SÁBADO LIVRE) SEM REDUÇÃO DE SALÁRIOS;

    • ENTREGA DE CORRESPONDÊNCIAS SOMENTE PELA MANHÃ;

    • POR MEDIDAS ADEQUADAS DE SEGURANÇA QUE EVITEM OS ASSALTOS AOS TRABALHADORES;

    • PELO FIM DO ASSEDIO MORAL E SINDICAL PELAS CHEFIAS;

    • REESTRUTURAÇÃO É PRIVATIZAÇÃO, NÃO A PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS!

    • NÃO AO “ROMBO” DO POSTALIS! NENHUM DESCONTO PARA OS TRABALHADORES E QUE A DIREÇÃO DA ECT E OS RESPONSÁVEIS ARQUEM COM AS CONSEQUÊNCIAS.

    • NÃO AO POSTAL SAÚDE! PELO RETORNO DOS CORREIOS SAÚDE E RECREDENCIAMENTO DE TODA A REDE.

    • PELO AADC DOS CARTEIROS MOTORIZADOS, SEM PREJUÍZO DO ADICIONAL DE PERICULOSIDADE NEM DA FUNÇÃO.

    CALENDÁRIO DE LUTAS

    Para organizar a Campanha Salarial e fortalecer o movimento propomos o seguinte CALENDÁRIO NACIONAL DE LUTAS:

    23 e 24/06/2015 • SISTEMATIZAÇÃO DA PAUTA

    25/06/2015 • ENVIO DA PAUTA SISTEMATIZADA PARA OS SINDICATOS E OPOSIÇÕES RECONHECIDAS

    26 e 27/06/2015 • ASSEMBLEIAS PARA REFERENDO DA PAUTA E ESCOLHA DE REPRESENTANTE SINDICAL PARA COMPOR O COMANDO NACIONAL DE NEGOCIAÇÃO E MOBILIZAÇÃO EM BSB

    30/06/2015 • INSTALAÇÃO DO COMANDO DE NOGOCIACAO EM BRASILIA
    • ENVIO DO JORNAL DA FENTECT COM ENVIO DA PAUTA PARA OS SINDICATOS E OPOSIÇÕES

    01/07/2015 • ENTREGA DA PAUTA À ECT

    07/07 a 1/07/2015 • REUNIÕES SETORIAIS, PLENÁRIAS E SEMINÁRIOS NAS BASES SINDICAIS PARA INFORMAR A CATEGORIA SOBRE OS EIXOS DA CAMPANHA SALARIAL VISANDO MOBILIZÁ-LA

    • CONFECÇÃO DE CARTAZES E ADESIVOS SOBRE A CAMPANHA

    15/07/2015 • INICIO DAS NEGOCIAÇOES COM A ECT

    15 a 18/07/2015 • DISTRIBUIÇÃO DO MATERIAL DE CAMPANHA, MOBILIZAÇÃO E CARRO DE SOM NA BASE

    22/07/2015 • ASSEMBLEIA GERAL DE PLANEJAMENTO DA CAMPANHA E ESCOLHA DE REPRESENTANTES PARA ENCONTROS SINDICAIS POR REGIÃO

    27/07 A 01/08/15 • AGITAÇÃO NAS BASES

    • 27/07 DIA NACIONAL DE LUTA MOTOCICLISTA COM ATO NOS TRTs

    • 28/07 DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO SUDESTE

    06/08/2015 • ASSEMBLÉIA DE AVALIAÇÃO DA CAMPANHA

    09 e 10/08/2015 • PLENÁRIAS OU SEMINÁRIOS POR REGIÃO DE CADA SINDICATO (INTERIOR)

    13/08/2015 • AUDIÊNCIAS PÚBLICAS NAS CÂMARAS MUNICIPAIS E ASSEMBLEIAS LEGISLATIVAS CONTRA A TERCEIRIZAÇÃO NA ECT E REQUERENDO REALIZAÇÃO DE CONCURSO PUBLICO IMEDIATO

    11 a 15/08/2015 • AGITAÇÃO NAS BASES (SOM, CARTAZES, etc)

    18/08/2015 • ASSEMBLEIAS PARA AVALIAÇÃO DO MOVIMENTO E ESCOLHA DE DELEGADOS PARA PLENÁRIA NACIONAL DA FENTECT

    21/08/2015 • ATO PUBLICO EM FRENTE AO EDIFÍCIO SEDE EM BSB

    21 E 22/08/2015 • PLENÁRIA NACIONAL DA FENTECT PARA AVALIAR A CAMPANHA SALARIAL E TIRAR ENCAMINHAMENTOS

    25/08/2015 • ELABORAÇÃO DE JORNAL NACIONAL DA FENTECT COM OS ENCAMINHAMENTOS DA PLENÁRIA PARA OS TRABALHADORES VIA SINDICATOS

    • DIA NACIONAL DE LUTA PELA ANISTIA

    • DIA NACIONAL DOS ATENDENTES COMERCIAIS

    26/08/2015 • ENVIO DOS JORNAIS PARA OS SINDICATOS E OPOSIÇÕES RECONHECIDAS

    28/08/2015 • ATOS PUBLICOS COM CATEGORIAS E MOVIMENTOS SOCIAIS DE APOIO AOS TRABALHADORES EM FRENTE AS SEDES REGIONAIS DA ECT

    01 A 07/09/2015 • ASSEMBLEIAS PARA VOTAÇÃO DO ESTADO DE GREVE

    07/09/15 • GRITO DOS EXCLUÍDOS E DENUNCIA CONTRA A PRIVATIZAÇÃO E SUCATEAMENTO DA ECT

    08 a 10/09/2015 • AGITAÇÃO NAS BASES E FIM DO PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO COM A ECT (10/09)

    14/09/15 • DATA LIMITE PARA AS NEGOCIAÇÕES


    15/09/15 • ASSEMBLEIA PARA DEFLAGRAÇÃO DE GREVE GERAL A PARTIR DAS 22H.

    quinta-feira, 11 de junho de 2015

    Estamos passando por um momento de crise política e econômica no país. A queda do PIB (Produto Interno Bruto) indica que essa onda devastadora da recessão está arrastando também o Brasil e governo e patrões estão jogando para a classe trabalhadora pagar, assim como outros países que a economia também depende de suas importações.

    Para garantir os lucros mesmo em períodos como estes, a saída para governo e patrões é reduzir salários, atacar os direitos trabalhistas e jogar a conta da inflação para o povo pobre pagar. 
    Há tempos que o endividamento das famílias vem aumentando, mas só neste ano, mais de 2 milhões de brasileiros entraram para a lista de devedores do SPC, segundo dados divulgados no dia 10 de junho.

    Os trabalhadores não conseguem  nem mesmo pagar contas básicas como água e luz e fazer compras se tornou uma tarefa quase impossível pelo aumento nos preços. 

    Se não lutar, a situação vai piorar!
    É hora das centrais sindicais que ainda são de luta, organizarem uma greve geral que pare este país para derrubar o Projeto de Lei das terceirizações de Eduardo Cunha e as MPs 664 e 665 do governo Dilma que retiram direitos históricos dos trabalhadores.
    Por isso, o Sintect-VP apoia o chamado da CSP-Conlutas às centrais para uma luta em conjunto. 
    O Governo Dilma diz que a política de ajuste fiscal é a única saída para que o país supere a crise econômica. Isto é uma mentira! Porque não suspendem o pagamento dos juros da dívida pública? Sabemos que essa dívida externa já foi paga várias vezes, agora só restam os juros, uma desculpa para que o país continue enviando para o capital todo o lucro do nosso trabalho.
    Essa dívida consome quase metade do orçamento anual do país. Dinheiro da saúde e educação vai para meia dúzia de banqueiros. Só no ano passado esse dinheiro daria para construir mais de 10 MILHÕES de moradias populares. Com o ajuste, o governo quer dar mais 100 bilhões aos banqueiros.
    Para combater o desemprego, o Sintect-VP defende a redução da jornada sem redução de salários, isso geraria mais empregos e o povo trabalhador não pagaria pela crise dos ricos.
    Para baratear o preço dos alimentos, deveriam estatizar as grandes empresas donas do agronegócio, que prefere ver suas plantações estragarem do que servir ao povo. 
    Sobre a crise política que vive o país, com o governo amargando baixos índices de popularidade, ninguém defende mais o PT e a oposição de direita quer se aproveitar disso, mas sabemos que nem PT e nem PSDB, PMBD e afins, governam a favor dos trabalhadores. Todos estes partidos governam para garantir o lucro dos bancos e patrões, pois são eles que bancam as campanhas eleitorais para cobrar este apoio depois.



    Estamos cada vez mais pobres e o dinheiro nunca dura até o fim do mês. Segundo SPC, brasileiros não conseguem sequer pagar conta de água e luz.

    Postado As:  10:04  |  Em:    |  Mais informações »

    Estamos passando por um momento de crise política e econômica no país. A queda do PIB (Produto Interno Bruto) indica que essa onda devastadora da recessão está arrastando também o Brasil e governo e patrões estão jogando para a classe trabalhadora pagar, assim como outros países que a economia também depende de suas importações.

    Para garantir os lucros mesmo em períodos como estes, a saída para governo e patrões é reduzir salários, atacar os direitos trabalhistas e jogar a conta da inflação para o povo pobre pagar. 
    Há tempos que o endividamento das famílias vem aumentando, mas só neste ano, mais de 2 milhões de brasileiros entraram para a lista de devedores do SPC, segundo dados divulgados no dia 10 de junho.

    Os trabalhadores não conseguem  nem mesmo pagar contas básicas como água e luz e fazer compras se tornou uma tarefa quase impossível pelo aumento nos preços. 

    Se não lutar, a situação vai piorar!
    É hora das centrais sindicais que ainda são de luta, organizarem uma greve geral que pare este país para derrubar o Projeto de Lei das terceirizações de Eduardo Cunha e as MPs 664 e 665 do governo Dilma que retiram direitos históricos dos trabalhadores.
    Por isso, o Sintect-VP apoia o chamado da CSP-Conlutas às centrais para uma luta em conjunto. 
    O Governo Dilma diz que a política de ajuste fiscal é a única saída para que o país supere a crise econômica. Isto é uma mentira! Porque não suspendem o pagamento dos juros da dívida pública? Sabemos que essa dívida externa já foi paga várias vezes, agora só restam os juros, uma desculpa para que o país continue enviando para o capital todo o lucro do nosso trabalho.
    Essa dívida consome quase metade do orçamento anual do país. Dinheiro da saúde e educação vai para meia dúzia de banqueiros. Só no ano passado esse dinheiro daria para construir mais de 10 MILHÕES de moradias populares. Com o ajuste, o governo quer dar mais 100 bilhões aos banqueiros.
    Para combater o desemprego, o Sintect-VP defende a redução da jornada sem redução de salários, isso geraria mais empregos e o povo trabalhador não pagaria pela crise dos ricos.
    Para baratear o preço dos alimentos, deveriam estatizar as grandes empresas donas do agronegócio, que prefere ver suas plantações estragarem do que servir ao povo. 
    Sobre a crise política que vive o país, com o governo amargando baixos índices de popularidade, ninguém defende mais o PT e a oposição de direita quer se aproveitar disso, mas sabemos que nem PT e nem PSDB, PMBD e afins, governam a favor dos trabalhadores. Todos estes partidos governam para garantir o lucro dos bancos e patrões, pois são eles que bancam as campanhas eleitorais para cobrar este apoio depois.



    quinta-feira, 4 de junho de 2015


    Na solenidade de abertura, o membro da Secretaria Executiva Nacional, Atnágoras Lopes, saudou os participantes do Congresso em nome da CSP-Conlutas: "Aqui são homens e mulheres para construir um congresso independente dos patrões e governo", e declara abertos os trabalhos. Muitos aplausos!

    As atividades se iniciaram com um painel de debate sobre a conjuntura nacional e internacional e tivemos como palestrantes convidados os companheiros Zé Maria (PSTU), Mauro Iasi (PCB) e a companheira Luciana Genro (PSOL).

    “O governo liberou R$ 188 bilhões para o agronegócio, enquanto o corte (no Orçamento) que afeta os mais pobres supera os R$ 80 bilhões. Esse ajuste não é um esforço de todos, como Dilma diz, é a piora cada vez maior das condições de vida do povo mais pobre para garantir o lucro de banqueiros e grandes empresários”, lembrou Zé Maria.

    “O governo se recusa a fazer ajuste naqueles que podem de fato ser reajustados, como os bancos”, criticou Luciana Genro. 

    Mauro Iasi ressaltou ainda o crescimento dos benefícios concedidos pelo governo do PT ao empresariado, por meio das renúncias fiscais.


    Além de chamar para a luta contra o ajuste fiscal, o presidente nacional do PSTU, Zé Maria, pediu apoio dos delegados para a derrubada da cláusula de barreira, que muda as regras de acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de rádio e TV nas campanhas eleitorais. Essa cláusula (PEC 182-07), aprovada pela Câmara dos Deputados no dia 28 de maio, atinge em cheio partidos de esquerda, dentre os partidos prejudicados estão: PSTU, PCB, PCO e PPL.


    Votação do Regimento e reunião de gruposApós o almoço, os delegados discutiram e votaram o Regimento do Congresso. Em seguida, os presentes foram divididos em grupos para discutir a conjuntura nacional e internacional.


    Veja algumas fotos da delegação do Sintect-VP no Congresso:




    Saiba como foi o primeiro dia do II Congresso da CSP-Conlutas! Acompanhe todas as informações.

    Postado As:  23:09  |  Em:    |  Mais informações »


    Na solenidade de abertura, o membro da Secretaria Executiva Nacional, Atnágoras Lopes, saudou os participantes do Congresso em nome da CSP-Conlutas: "Aqui são homens e mulheres para construir um congresso independente dos patrões e governo", e declara abertos os trabalhos. Muitos aplausos!

    As atividades se iniciaram com um painel de debate sobre a conjuntura nacional e internacional e tivemos como palestrantes convidados os companheiros Zé Maria (PSTU), Mauro Iasi (PCB) e a companheira Luciana Genro (PSOL).

    “O governo liberou R$ 188 bilhões para o agronegócio, enquanto o corte (no Orçamento) que afeta os mais pobres supera os R$ 80 bilhões. Esse ajuste não é um esforço de todos, como Dilma diz, é a piora cada vez maior das condições de vida do povo mais pobre para garantir o lucro de banqueiros e grandes empresários”, lembrou Zé Maria.

    “O governo se recusa a fazer ajuste naqueles que podem de fato ser reajustados, como os bancos”, criticou Luciana Genro. 

    Mauro Iasi ressaltou ainda o crescimento dos benefícios concedidos pelo governo do PT ao empresariado, por meio das renúncias fiscais.


    Além de chamar para a luta contra o ajuste fiscal, o presidente nacional do PSTU, Zé Maria, pediu apoio dos delegados para a derrubada da cláusula de barreira, que muda as regras de acesso ao Fundo Partidário e ao tempo de rádio e TV nas campanhas eleitorais. Essa cláusula (PEC 182-07), aprovada pela Câmara dos Deputados no dia 28 de maio, atinge em cheio partidos de esquerda, dentre os partidos prejudicados estão: PSTU, PCB, PCO e PPL.


    Votação do Regimento e reunião de gruposApós o almoço, os delegados discutiram e votaram o Regimento do Congresso. Em seguida, os presentes foram divididos em grupos para discutir a conjuntura nacional e internacional.


    Veja algumas fotos da delegação do Sintect-VP no Congresso:




    terça-feira, 2 de junho de 2015

     O II Congresso da CSP-Conlutas – Central Sindical e Popular será realizado de 4 a 7 de junho em Sumaré/SP.
    Os objetivos são discutir e deliberar sobre a situação política nacional e internacional; sobre o plano de ação e as atividades; discutir o balanço político e organizativo da Central; avançar no seu processo de fortalecimento, ampliando a presença da Central na base, entre os trabalhadores do campo e na classe operária; avançar na unidade interna de nossa classe fortalecendo a luta contra as opressões; avançar na unidade dos setores classistas e combativos numa mesma ferramenta unitária; e, ainda, discutir e deliberar sobre os Estatutos e a direção da entidade.
    Este é o Segundo Congresso da CSP-Conlutas, mas como referência, para esse e os demais congressos da Central, trataremos esse como sendo o sexto congresso do processo mais recente de reorganização da classe trabalhadora brasileira, tendo como referência o Conat – Congresso Nacional de Trabalhadores, realizado em 2006.
    Estarão presentes no Congresso, os representantes (Delegados e delegadas) de entidades sindicais, oposições e minorias de entidades sindicais, associações de caráter classista, movimentos populares urbanos e rurais, entidades do movimento estudantil e de luta contra as opressões, todos(as) eleitos em conformidade com as regras definidas no Regimento, com direito a voz e voto.
    – Convidados da Coordenação do Congresso, terão direito a voz e sem direito a voto.
    – Observadores, com direito a voz e sem direito a voto, mediante autorização da Coordenação do Congresso.
    Temas dos debates:
    O temário do II Congresso da CSP Conlutas – Central Sindical e Popular será o seguinte: 
    1) Conjuntura Nacional e Internacional; 
    2) Balanço de atividades e Plano de ação; 
    3) Organização da Central, Estatutos e Direção.

    Após os debates, as votações serão feitas por levantamento de crachás dos delegados e delegadas.
    A Plenária Geral será dirigida por uma Mesa Diretora dos Trabalhos a quem caberá coordenar os trabalhos, propondo os encaminhamentos e a ordem, que serão decididos pelos(as) delegados(as) reunidos. A composição de cada Mesa será proposta pela Coordenação e também decidida pela própria Plenária.
    Para que possa deliberar sobre os temas em discussão, a Plenária Geral do Congresso deverá contar com a presença de mais da metade dos(as) delegados(as) credenciados(as).
    Confira a programação completa do Congresso:
    5.ª feira – 4 de junho
    8 horas – Credenciamento
    10 horas – Abertura do Congresso, votação do Regimento e recursos ao Congresso
    13 horas – almoço
    15 horas – Painel de debate sobre a Conjuntura Nacional e Internacional (serão convidados os companheiros Zé Maria e Mauro Iasi e a companheira Luciana Genro)
    17 horas – Grupos de discussão sobre Conjuntura Nacional e Internacional
    20 horas – encerramento e jantar

    6.ª feira – 5 de junho
    9 horas – Falas ao Congresso das organizações políticas que compõem a Central
    10 horas – Painel
    12 horas – Almoço
    14 horas – Trabalhos em grupo (Atividades e Plano de Ação) 
    16 horas – Plenária deliberativa – Votação sobre Conjuntura Nacional e Internacional
    19 horas – Encerramento e jantar

    Sábado – 6 de junho
    8h30 – Trabalho em grupo – Balanço político e organizativo da Central e outras resoluções não contempladas nos dois grupos anteriores)
    10h30 – Plenária deliberativa – Atividades e Plano de ação
    12h30 – Almoço
    14h30 – Reuniões Setoriais
    16h – Painel e Encerramento do prazo para entrega à Comissão de Relatoria das propostas de moções
    17h30 – Painel
    19h – Encerramento e jantar

    Domingo – 7 de junho
    9 horas – plenária deliberativa: balanço político e organizativo da Central e outros temas
    11 horas – Assembleia estatutária
    12 horas – Sessão de encerramento
    13 horas – almoço e término do Congresso


    2º Congresso da CSP-Conlutas tem início nesta quinta, dia 4. Evento vai debater e preparar as lutas dos próximos períodos.

    Postado As:  09:48  |  Em:    |  Mais informações »

     O II Congresso da CSP-Conlutas – Central Sindical e Popular será realizado de 4 a 7 de junho em Sumaré/SP.
    Os objetivos são discutir e deliberar sobre a situação política nacional e internacional; sobre o plano de ação e as atividades; discutir o balanço político e organizativo da Central; avançar no seu processo de fortalecimento, ampliando a presença da Central na base, entre os trabalhadores do campo e na classe operária; avançar na unidade interna de nossa classe fortalecendo a luta contra as opressões; avançar na unidade dos setores classistas e combativos numa mesma ferramenta unitária; e, ainda, discutir e deliberar sobre os Estatutos e a direção da entidade.
    Este é o Segundo Congresso da CSP-Conlutas, mas como referência, para esse e os demais congressos da Central, trataremos esse como sendo o sexto congresso do processo mais recente de reorganização da classe trabalhadora brasileira, tendo como referência o Conat – Congresso Nacional de Trabalhadores, realizado em 2006.
    Estarão presentes no Congresso, os representantes (Delegados e delegadas) de entidades sindicais, oposições e minorias de entidades sindicais, associações de caráter classista, movimentos populares urbanos e rurais, entidades do movimento estudantil e de luta contra as opressões, todos(as) eleitos em conformidade com as regras definidas no Regimento, com direito a voz e voto.
    – Convidados da Coordenação do Congresso, terão direito a voz e sem direito a voto.
    – Observadores, com direito a voz e sem direito a voto, mediante autorização da Coordenação do Congresso.
    Temas dos debates:
    O temário do II Congresso da CSP Conlutas – Central Sindical e Popular será o seguinte: 
    1) Conjuntura Nacional e Internacional; 
    2) Balanço de atividades e Plano de ação; 
    3) Organização da Central, Estatutos e Direção.

    Após os debates, as votações serão feitas por levantamento de crachás dos delegados e delegadas.
    A Plenária Geral será dirigida por uma Mesa Diretora dos Trabalhos a quem caberá coordenar os trabalhos, propondo os encaminhamentos e a ordem, que serão decididos pelos(as) delegados(as) reunidos. A composição de cada Mesa será proposta pela Coordenação e também decidida pela própria Plenária.
    Para que possa deliberar sobre os temas em discussão, a Plenária Geral do Congresso deverá contar com a presença de mais da metade dos(as) delegados(as) credenciados(as).
    Confira a programação completa do Congresso:
    5.ª feira – 4 de junho
    8 horas – Credenciamento
    10 horas – Abertura do Congresso, votação do Regimento e recursos ao Congresso
    13 horas – almoço
    15 horas – Painel de debate sobre a Conjuntura Nacional e Internacional (serão convidados os companheiros Zé Maria e Mauro Iasi e a companheira Luciana Genro)
    17 horas – Grupos de discussão sobre Conjuntura Nacional e Internacional
    20 horas – encerramento e jantar

    6.ª feira – 5 de junho
    9 horas – Falas ao Congresso das organizações políticas que compõem a Central
    10 horas – Painel
    12 horas – Almoço
    14 horas – Trabalhos em grupo (Atividades e Plano de Ação) 
    16 horas – Plenária deliberativa – Votação sobre Conjuntura Nacional e Internacional
    19 horas – Encerramento e jantar

    Sábado – 6 de junho
    8h30 – Trabalho em grupo – Balanço político e organizativo da Central e outras resoluções não contempladas nos dois grupos anteriores)
    10h30 – Plenária deliberativa – Atividades e Plano de ação
    12h30 – Almoço
    14h30 – Reuniões Setoriais
    16h – Painel e Encerramento do prazo para entrega à Comissão de Relatoria das propostas de moções
    17h30 – Painel
    19h – Encerramento e jantar

    Domingo – 7 de junho
    9 horas – plenária deliberativa: balanço político e organizativo da Central e outros temas
    11 horas – Assembleia estatutária
    12 horas – Sessão de encerramento
    13 horas – almoço e término do Congresso


    quinta-feira, 28 de maio de 2015


    Esta sexta-feira, dia 29, será o Dia Nacional de Paralisações e Manifestações, como chamado e preparação para uma possível Greve Geral. 

    Em todo país, trabalhadores irão protestar contra as Medidas Provisórias 664 e 665, contra o Projeto de Lei 4330 que amplia e regulamenta as terceirizações, contra o ajuste fiscal e a retirada de direitos promovida pelo governo Dilma Rousseff do PT.

    Trabalhadores dos Correios
    No Vale do Paraíba, os trabalhadores dos Correios aprovaram cruzar os braços neste dia e participar dos protestos de nossa região. Em São José dos Campos, haverá ato na Praça Afonso Pena, às 10h.

    Os atos terão também a participação de metalúrgicos, químicos, petroleiros, servidores municipais do Vale, condutores, vidreiros, trabalhadores da alimentação, construção civil, Cozinhas, farmácias e da saúde, além de aposentados, pensionistas e dos estudantes.


    No dia 29, além de paralisação também haverá protesto na Praça Afonso Pena em São José. Ato será às 10h

    Postado As:  10:13  |  Em:    |  Mais informações »


    Esta sexta-feira, dia 29, será o Dia Nacional de Paralisações e Manifestações, como chamado e preparação para uma possível Greve Geral. 

    Em todo país, trabalhadores irão protestar contra as Medidas Provisórias 664 e 665, contra o Projeto de Lei 4330 que amplia e regulamenta as terceirizações, contra o ajuste fiscal e a retirada de direitos promovida pelo governo Dilma Rousseff do PT.

    Trabalhadores dos Correios
    No Vale do Paraíba, os trabalhadores dos Correios aprovaram cruzar os braços neste dia e participar dos protestos de nossa região. Em São José dos Campos, haverá ato na Praça Afonso Pena, às 10h.

    Os atos terão também a participação de metalúrgicos, químicos, petroleiros, servidores municipais do Vale, condutores, vidreiros, trabalhadores da alimentação, construção civil, Cozinhas, farmácias e da saúde, além de aposentados, pensionistas e dos estudantes.


    segunda-feira, 11 de maio de 2015


    O PL 4330 das terceirizações, é um ataque contra todos trabalhadores (as), porém os mais afetados são os negros, negras, mulheres, LGBTs e jovens. Este Projeto de Lei é um golpe violento


     O PL 4330 pretende ampliar e aprofundar a superexploração à qual os terceirizados já estão submetidos atualmente, com salários baixíssimos e que ainda sofrem calotes e atrasos. Executam mais horas de trabalho do que os demais trabalhadores, sofrem com as péssimas condições de trabalho, assédio moral e redução ou completa eliminação de direitos trabalhistas.
    Até o momento, o trabalho terceirizado, oficialmente, está restrito aos serviços de vigilância, telefonia, alimentação e limpeza. Mas, se a lei for aprovada, ele será estendido para todo e qualquer tipo de serviços, até nas atividades fim, sejam eles em empresas públicas ou privadas. 
    Escolas e hospitais, por exemplo, poderão demitir todos os efetivos e contratar funcionários terceirizados, com condições de trabalho e salários ainda piores do que já são pagos.Hoje, um terceirizado recebe cerca de 30% a menos do que os trabalhadores contratados para a mesma função. No setor público, em particular, o PL 4330 significa o fim dos concursos, da estabilidade e dos direitos conquistado às duras penas pelo funcionalismo. 
    E como se isto não bastasse, o projeto pretende golpear ainda mais a organização dos trabalhadores, já que os terceirizados não podem (ou enfrentam severas restrições) se filiar a sindicatos ou se organizar para lutar por direitos e salário.
    Opressão
    Serviços terceirizados, como os de telemarketings, têm uma expressiva maioria de negros (particularmente negras), mulheres, LGBT’s e jovens. E quem conhece este setor sabe o quanto são precarizados, assediados e oprimidos.
    As razões são muitas. No telemarketing, por exemplo, estes setores são “invisibilizados”, algo bastante de acordo com a “lógica” da discriminação e marginalização, seus padrões estéticos brancos e sua moral hipócrita, pelo telefone não se pode ver quem os atende, isso é o preconceito da forma mais brutal.
    Algo que, em serviços como os de limpeza e manutenção, se combina com a “crença” racista e machista de que negros e negras são mais “adequados” para estes serviços com menor prestígio social ou que mulheres nasceram para as tarefas domésticas e para servir aos homens. Um verdadeiro absurdo!
    Vamos todos lutar juntos para barrar o Projeto de Lei 4330! Nesta quinta-feira, dia 14, haverá uma importante palestra com debate sobre esta situação e a presença de todos é fundamental. Vamos nos formar, estudar para armar a classe trabalhadora para lutar contra estes ataques!

    Terceirização atinge camada mais oprimida da população. Maioria são de negros, mulheres, homossexuais e jovens

    Postado As:  12:17  |  Em:    |  Mais informações »


    O PL 4330 das terceirizações, é um ataque contra todos trabalhadores (as), porém os mais afetados são os negros, negras, mulheres, LGBTs e jovens. Este Projeto de Lei é um golpe violento


     O PL 4330 pretende ampliar e aprofundar a superexploração à qual os terceirizados já estão submetidos atualmente, com salários baixíssimos e que ainda sofrem calotes e atrasos. Executam mais horas de trabalho do que os demais trabalhadores, sofrem com as péssimas condições de trabalho, assédio moral e redução ou completa eliminação de direitos trabalhistas.
    Até o momento, o trabalho terceirizado, oficialmente, está restrito aos serviços de vigilância, telefonia, alimentação e limpeza. Mas, se a lei for aprovada, ele será estendido para todo e qualquer tipo de serviços, até nas atividades fim, sejam eles em empresas públicas ou privadas. 
    Escolas e hospitais, por exemplo, poderão demitir todos os efetivos e contratar funcionários terceirizados, com condições de trabalho e salários ainda piores do que já são pagos.Hoje, um terceirizado recebe cerca de 30% a menos do que os trabalhadores contratados para a mesma função. No setor público, em particular, o PL 4330 significa o fim dos concursos, da estabilidade e dos direitos conquistado às duras penas pelo funcionalismo. 
    E como se isto não bastasse, o projeto pretende golpear ainda mais a organização dos trabalhadores, já que os terceirizados não podem (ou enfrentam severas restrições) se filiar a sindicatos ou se organizar para lutar por direitos e salário.
    Opressão
    Serviços terceirizados, como os de telemarketings, têm uma expressiva maioria de negros (particularmente negras), mulheres, LGBT’s e jovens. E quem conhece este setor sabe o quanto são precarizados, assediados e oprimidos.
    As razões são muitas. No telemarketing, por exemplo, estes setores são “invisibilizados”, algo bastante de acordo com a “lógica” da discriminação e marginalização, seus padrões estéticos brancos e sua moral hipócrita, pelo telefone não se pode ver quem os atende, isso é o preconceito da forma mais brutal.
    Algo que, em serviços como os de limpeza e manutenção, se combina com a “crença” racista e machista de que negros e negras são mais “adequados” para estes serviços com menor prestígio social ou que mulheres nasceram para as tarefas domésticas e para servir aos homens. Um verdadeiro absurdo!
    Vamos todos lutar juntos para barrar o Projeto de Lei 4330! Nesta quinta-feira, dia 14, haverá uma importante palestra com debate sobre esta situação e a presença de todos é fundamental. Vamos nos formar, estudar para armar a classe trabalhadora para lutar contra estes ataques!

    domingo, 10 de maio de 2015

    Virou cinza! 

    Em ato realizado na última sexta-feira, dia 8 de maio, os carteiros do CDD Flórida, em Jacareí, queimaram as papeletas que receberam como forma de banir os lutadores que exigiam melhores condições de trabalho e menos dobras.

    As papeletas originais não foram queimadas, o Sintect-Vp protocolou recurso e entregou para o responsável pela emissão das papeletas assinar. Porém, " a nossa vontade era mesmo de queimar as papeletas para demonstrar nossa indignação e revolta contra essa atitude da direção da empresa" diziam os trabalhadores que participaram do ato.

    Não podemos admitir retaliações aos trabalhadores que estão reivindicando seus direitos e condições de trabalho! Isto é uma forma de assédio.

    Os trabalhadores do CDD Flórida mostraram mais uma vez que são verdadeiros guerreiros e estão unidos organizando lutas por melhorias e direitos.

    "Esta forma de repressão deve acabar, e caso a repressão se intensifique após este ato, o sindicato tomará mais outras providencias e iremos pra cima para cobrar nossos direitos". Declarou Marcílio Medeiros, presidente do Sintect-VP que junto com outros diretores esteve na unidade apoiando a luta e dando todo o respaldo do Sindicato.

    O ato deu grande repercussão à população que passava pelo local e apoiava a luta dos ecetistas!
    Que esta luta e organização destes companheiros sirva de exemplo para outras unidades que também sofrem com assédio moral, dobras, e péssimas condições de trabalho.


    Em ato simbólico, carteiros queimam papeletas em Jacareí

    Postado As:  18:41  |  Em:    |  Mais informações »

    Virou cinza! 

    Em ato realizado na última sexta-feira, dia 8 de maio, os carteiros do CDD Flórida, em Jacareí, queimaram as papeletas que receberam como forma de banir os lutadores que exigiam melhores condições de trabalho e menos dobras.

    As papeletas originais não foram queimadas, o Sintect-Vp protocolou recurso e entregou para o responsável pela emissão das papeletas assinar. Porém, " a nossa vontade era mesmo de queimar as papeletas para demonstrar nossa indignação e revolta contra essa atitude da direção da empresa" diziam os trabalhadores que participaram do ato.

    Não podemos admitir retaliações aos trabalhadores que estão reivindicando seus direitos e condições de trabalho! Isto é uma forma de assédio.

    Os trabalhadores do CDD Flórida mostraram mais uma vez que são verdadeiros guerreiros e estão unidos organizando lutas por melhorias e direitos.

    "Esta forma de repressão deve acabar, e caso a repressão se intensifique após este ato, o sindicato tomará mais outras providencias e iremos pra cima para cobrar nossos direitos". Declarou Marcílio Medeiros, presidente do Sintect-VP que junto com outros diretores esteve na unidade apoiando a luta e dando todo o respaldo do Sindicato.

    O ato deu grande repercussão à população que passava pelo local e apoiava a luta dos ecetistas!
    Que esta luta e organização destes companheiros sirva de exemplo para outras unidades que também sofrem com assédio moral, dobras, e péssimas condições de trabalho.


    Parcerias-Ajuda-Contato
    Copyright © 2013 Traduzido Por: Template Para Blogspot by BloggerTheme9
    Proudly Powered by Blogger.
    back to top