Nossa Sede

Avenida Genésia B. Tarantino, 115 - Jardim Paulista - São José dos Campos/SP - Fone: 12 3302-5996


  • Grande Vitória!

    Trem da Alegria começa a ser pago aos trabalhadores!

  • Edição 86 #

    lEIA O JORNAL CORREIO DO TRABALHADOR

  • Demissão Irregular #

    Carteiro é reintegrado em Ubatuba

  • Lucro só aumenta:

    E a PLR?

  • segunda-feira, 30 de março de 2015


    Os garis do Rio de Janeiro sempre nos ensinam que toda luta pode ser vitoriosa se houver união entre os trabalhadores. Após uma bela trajetória de greves e lutas, mais uma vez eles conquistaram um reajuste e o respeito e apoio de diversas categorias do país.

    O Sintect-VP apóia e sempre apoiou as lutas autênticas da classe trabalhadora e na última assembleia reforçamos este apoio votando esta moção. 

    Os garis iniciaram a greve no dia 13 de março e acabou na sexta feira, dia 20. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) já tinha considerado a greve ilegal, numa tentativa de desmobilizar os trabalhadores, mas mesmo assim eles seguiram em união e mobilização até que garantiram 8% de reajuste salarial, pagamento de horas extras aos responsáveis pela coleta e R$ 800 de auxílio funeral. A proposta inicial da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) era de apenas 3% de reajuste.
    Assim como os garis do Rio, outras categorias se mobilizaram neste mês de março e muitas lutas ainda virão. O Sintect-VP está junto com os trabalhadores de luta e participaremos da jornada nacional de mobilizações, marcada para acontecer de 7 à 9 de abril, de acordo com o que foi votado no Espaço Unidade de Ação.
    Aumento no preço dos transportes, luz e alimentos; demissões; retirada de diretos; Medidas Provisórias como as MP’s 664 e 665; escândalos de corrupção e anúncios de privatização, motivos temos de sobra para nos organizarmos e este é o momento para que a classe trabalhadora levante suas bandeiras e enfrente o governo e os patrões exigindo prisão e confisco para corruptos e corruptores.
    Diante disso, manifestamos apoio integral à todas as lutas legítimas da classe trabalhadora, greves e paralisações.
    Os garis do RJ mais uma vez mostraram o caminho. Agora temos um grande desafio pela frente que é a luta pela união de todos os trabalhadores e trabalhadoras deste país, assim como estudantes e aposentados de luta, que também estão cansados de tantos ataques.
    Com uma greve geral poderemos parar o Brasil para fazer valer nossas reivindicações concretas! Nem PT, nem PSDB, por unidade entre os trabalhadores já! 

    Todo apoio às lutas dos Garis! Após muita luta, garis do Rio de Janeiro conquistam 8% de reajuste.

    Postado As:  13:31  |  Em:    |  Mais informações »


    Os garis do Rio de Janeiro sempre nos ensinam que toda luta pode ser vitoriosa se houver união entre os trabalhadores. Após uma bela trajetória de greves e lutas, mais uma vez eles conquistaram um reajuste e o respeito e apoio de diversas categorias do país.

    O Sintect-VP apóia e sempre apoiou as lutas autênticas da classe trabalhadora e na última assembleia reforçamos este apoio votando esta moção. 

    Os garis iniciaram a greve no dia 13 de março e acabou na sexta feira, dia 20. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) já tinha considerado a greve ilegal, numa tentativa de desmobilizar os trabalhadores, mas mesmo assim eles seguiram em união e mobilização até que garantiram 8% de reajuste salarial, pagamento de horas extras aos responsáveis pela coleta e R$ 800 de auxílio funeral. A proposta inicial da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) era de apenas 3% de reajuste.
    Assim como os garis do Rio, outras categorias se mobilizaram neste mês de março e muitas lutas ainda virão. O Sintect-VP está junto com os trabalhadores de luta e participaremos da jornada nacional de mobilizações, marcada para acontecer de 7 à 9 de abril, de acordo com o que foi votado no Espaço Unidade de Ação.
    Aumento no preço dos transportes, luz e alimentos; demissões; retirada de diretos; Medidas Provisórias como as MP’s 664 e 665; escândalos de corrupção e anúncios de privatização, motivos temos de sobra para nos organizarmos e este é o momento para que a classe trabalhadora levante suas bandeiras e enfrente o governo e os patrões exigindo prisão e confisco para corruptos e corruptores.
    Diante disso, manifestamos apoio integral à todas as lutas legítimas da classe trabalhadora, greves e paralisações.
    Os garis do RJ mais uma vez mostraram o caminho. Agora temos um grande desafio pela frente que é a luta pela união de todos os trabalhadores e trabalhadoras deste país, assim como estudantes e aposentados de luta, que também estão cansados de tantos ataques.
    Com uma greve geral poderemos parar o Brasil para fazer valer nossas reivindicações concretas! Nem PT, nem PSDB, por unidade entre os trabalhadores já! 


    Pneus carecas nas viaturas é só um dos problemas da unidade. Fotos: Carlos Alberto Alves

    Por: Carlos Alberto Alves,
    de Taubaté


    Os trabalhadores do CEE Taubaté, estão sofrendo, há um bom tempo, com a falta de condições de trabalho na unidade. 

    O novo SDE, que foi aprovado em 2014, até agora não foi implantado. Os trabalhadores estão sobrecarregados e para que as encomendas sejam entregues eles precisam fazer horas extras todos os dias, algo que não deveria acontecer.
    Também em Outubro de 2014, o CAE (Adalberto) foi aos trabalhadores e prometeu que viria para a unidade 6 novos carros para auxiliar nos trabalhos, mas até agora isso não aconteceu e sempre que é questionado, arruma desculpas e nada de concreto acontece.
    Dia 18 desse mês, com a paralisação de 24 horas os trabalhadores do CEE Taubaté, 80% do efetivo parou por todas as reivindicações da Campanha Nacional Contra a Privatização dos Correios, e também pelos problemas pontuais no setor. 

    No entanto, nesse mesmo dia o Gerente Antônio Sergio Rosa, para que os trabalhadores voltassem ao trabalho, fez mais uma promessa. Disse que no dia seguinte, 19 de março, os carros estariam todos na unidade. Mais uma promessa que não foi cumprida pela empresa.

    E por último, o Gerente do CTO Alexandre Pires, depois de pressionado pelo Sintect-VP, fez mais uma promessa. Disse que os carros estarão na unidade no dia 1 de Abril.
    Bom... Nem precisamos falar o que provavelmente acontecerá em pleno dia da mentira! Já que Alexandre já entrou em contato novamente com o Sindicato se justificando e dizendo que não conseguirá enviar os carros nessa data.

    Por tudo isso, os trabalhadores do CEE Taubaté estão se mobilizando. Estamos cansados de promessas! Queremos que a ECT cumpra com suas obrigações!

    Viaturas

    Se não bastasse a falta de carros, os que estão sendo utilizados estão em péssimas condições.
    As viaturas apresentam vários problemas, como por exemplo: falta de farol, painéis que não acendem, pneus carecas, vazamentos de óleo e vários carros com alerta nos freios, colocando em risco a vida dos trabalhadores.

    Estrutura da unidade

    Assim como na maioria dos prédios da ECT, o local que abriga o CEE Taubaté possui rede elétrica antiga que não suporta todas as luzes acesas. Basta ligar para começar a exalar cheiro de fiação queimando.

    O SINTECT-VP, vem em favor dos trabalhadores dessa unidade, questionar a posição da ECT e exigir que sejam resolvidos todos esses problemas, pois é obrigação da empresa dar condições de trabalho e não fazer somente promessas infundadas, pra depois não cumpri-las.


    Chega de promessas!

    Confira algumas fotos da situação do CEE Taubaté:
     


    Os trabalhadores do CEE Taubaté não querem mais promessas! Situação no local está caótica! Por condições dignas de trabalho já!

    Postado As:  09:01  |  Em:    |  Mais informações »


    Pneus carecas nas viaturas é só um dos problemas da unidade. Fotos: Carlos Alberto Alves

    Por: Carlos Alberto Alves,
    de Taubaté


    Os trabalhadores do CEE Taubaté, estão sofrendo, há um bom tempo, com a falta de condições de trabalho na unidade. 

    O novo SDE, que foi aprovado em 2014, até agora não foi implantado. Os trabalhadores estão sobrecarregados e para que as encomendas sejam entregues eles precisam fazer horas extras todos os dias, algo que não deveria acontecer.
    Também em Outubro de 2014, o CAE (Adalberto) foi aos trabalhadores e prometeu que viria para a unidade 6 novos carros para auxiliar nos trabalhos, mas até agora isso não aconteceu e sempre que é questionado, arruma desculpas e nada de concreto acontece.
    Dia 18 desse mês, com a paralisação de 24 horas os trabalhadores do CEE Taubaté, 80% do efetivo parou por todas as reivindicações da Campanha Nacional Contra a Privatização dos Correios, e também pelos problemas pontuais no setor. 

    No entanto, nesse mesmo dia o Gerente Antônio Sergio Rosa, para que os trabalhadores voltassem ao trabalho, fez mais uma promessa. Disse que no dia seguinte, 19 de março, os carros estariam todos na unidade. Mais uma promessa que não foi cumprida pela empresa.

    E por último, o Gerente do CTO Alexandre Pires, depois de pressionado pelo Sintect-VP, fez mais uma promessa. Disse que os carros estarão na unidade no dia 1 de Abril.
    Bom... Nem precisamos falar o que provavelmente acontecerá em pleno dia da mentira! Já que Alexandre já entrou em contato novamente com o Sindicato se justificando e dizendo que não conseguirá enviar os carros nessa data.

    Por tudo isso, os trabalhadores do CEE Taubaté estão se mobilizando. Estamos cansados de promessas! Queremos que a ECT cumpra com suas obrigações!

    Viaturas

    Se não bastasse a falta de carros, os que estão sendo utilizados estão em péssimas condições.
    As viaturas apresentam vários problemas, como por exemplo: falta de farol, painéis que não acendem, pneus carecas, vazamentos de óleo e vários carros com alerta nos freios, colocando em risco a vida dos trabalhadores.

    Estrutura da unidade

    Assim como na maioria dos prédios da ECT, o local que abriga o CEE Taubaté possui rede elétrica antiga que não suporta todas as luzes acesas. Basta ligar para começar a exalar cheiro de fiação queimando.

    O SINTECT-VP, vem em favor dos trabalhadores dessa unidade, questionar a posição da ECT e exigir que sejam resolvidos todos esses problemas, pois é obrigação da empresa dar condições de trabalho e não fazer somente promessas infundadas, pra depois não cumpri-las.


    Chega de promessas!

    Confira algumas fotos da situação do CEE Taubaté:
     


    terça-feira, 24 de março de 2015

    MOT fazendo entregas durante a greve


    Com a Empresa de Correios e Telégrafos a beira da privatização, cresce o número de MOTs (Mão de Obra Terceirizada), que fazem os mesmos serviços que um trabalhador efetivo concursado, porém com salário mais baixo e sem garantia de emprego e direitos.
    A direção dos Correios vem utilizando terceirizados para "tapar buraco" com a falta de funcionários e também é uma maneira de rebaixar salários, além do corte de benefícios como vale refeição, assistência médica etc. 

    Enquanto os ecetistas sofrem para dar conta da demanda de trabalho diante da enorme falta de funcionários, a ECT não abre concurso público para ampliar o quadro de efetivos desde 2011, mesmo depois de alguns processos de abertura de PDV (Plano de Demissão Voluntária).

    É preciso entender a fundo o que a terceirização representa para o governo e grandes empresários.

    Mais um motivo para ir à luta

    A terceirização foi a forma encontrada pelas empresas e governo, para cortar custos, flexibilizar direitos e aumentar a exploração. De acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), o trabalhador terceirizado ganha 27% menos que os demais, cumpre três horas a mais em sua jornada semanal e fica 2,6 anos a menos no emprego. A cada dez acidentes de trabalho, oito acontecem entre os terceirizados.

    Em fevereiro deste ano,  a Câmara dos Deputados desarquivou o PL 4330/04, projeto de lei que permite a terceirização em todas as atividades das empresas do setor privado e público. 

    Agora, o projeto de lei está pronto para votação no plenário, legalizando uma série de ataques aos direitos.

    Falta de funcionários: ECT amplia terceirização e não abre concurso público para efetivos desde 2011.

    Postado As:  22:44  |  Em:    |  Mais informações »

    MOT fazendo entregas durante a greve


    Com a Empresa de Correios e Telégrafos a beira da privatização, cresce o número de MOTs (Mão de Obra Terceirizada), que fazem os mesmos serviços que um trabalhador efetivo concursado, porém com salário mais baixo e sem garantia de emprego e direitos.
    A direção dos Correios vem utilizando terceirizados para "tapar buraco" com a falta de funcionários e também é uma maneira de rebaixar salários, além do corte de benefícios como vale refeição, assistência médica etc. 

    Enquanto os ecetistas sofrem para dar conta da demanda de trabalho diante da enorme falta de funcionários, a ECT não abre concurso público para ampliar o quadro de efetivos desde 2011, mesmo depois de alguns processos de abertura de PDV (Plano de Demissão Voluntária).

    É preciso entender a fundo o que a terceirização representa para o governo e grandes empresários.

    Mais um motivo para ir à luta

    A terceirização foi a forma encontrada pelas empresas e governo, para cortar custos, flexibilizar direitos e aumentar a exploração. De acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), o trabalhador terceirizado ganha 27% menos que os demais, cumpre três horas a mais em sua jornada semanal e fica 2,6 anos a menos no emprego. A cada dez acidentes de trabalho, oito acontecem entre os terceirizados.

    Em fevereiro deste ano,  a Câmara dos Deputados desarquivou o PL 4330/04, projeto de lei que permite a terceirização em todas as atividades das empresas do setor privado e público. 

    Agora, o projeto de lei está pronto para votação no plenário, legalizando uma série de ataques aos direitos.


    Sintect-VP flagra ecetistas em péssimas condições de trabalho no Vale.

    Trabalhadores dos Correios exercem suas atividades diárias sob condições degradantes com riscos sérios à saúde. Fotos são do CEE São José e CDD Satélite.


    A direção dos Correios investe em logomarca, em patrocínio, em propagandas, em tudo exceto nos trabalhadores. Apesar de literalmente carregarem a empresa nas costas, os funcionários estão longe de ter o reconhecimento e as mínimas condições de trabalho.
    Infelizmente essa situação está espalhada por todo país, e em nossa região as denúncias são inúmeras. Além das condições degradantes dos prédios, sem ventilação, sem segurança e muitas vezes com a rede elétrica tão antiga e sem manutenção. Faltam desde os EPI´s (Equipamentos de Proteção Individual) até mesas e materiais simples de trabalho, como bolsas, uniformes e até caneta! 


    (Fotos acima: CDD Satélite)
    A diretoria do Sintect-VP flagrou e fez registros fotográficos em algumas unidades durante as reuniões setoriais e visitas. Tais denúncias são importantíssimas para evitar acidentes com os trabalhadores e com todos que frequentam estes locais insalubres. 
    “Dar condições de trabalho é o mínimo que a empresa deve fazer depois de tanto explorar os ecetistas. A ECT já tem conhecimento desta situação mas não toma as devidas providências, não restando outra alternativa que não seja a luta e a união dos trabalhadores." declarou Marcílio Medeiros, presidente do Sintect-VP.
    CEE São José
    Dentre os locais insalubres, destacamos o CEE São José. O prédio possui instalações elétricas precárias, não tem climatização, tornando o ambiente arriscado e caótico. Confira as fotos:
     









    Saúde do trabalhador: Esta é a condição de trabalho nos Correios. Puro descaso!

    Postado As:  22:13  |  Em:    |  Mais informações »


    Sintect-VP flagra ecetistas em péssimas condições de trabalho no Vale.

    Trabalhadores dos Correios exercem suas atividades diárias sob condições degradantes com riscos sérios à saúde. Fotos são do CEE São José e CDD Satélite.


    A direção dos Correios investe em logomarca, em patrocínio, em propagandas, em tudo exceto nos trabalhadores. Apesar de literalmente carregarem a empresa nas costas, os funcionários estão longe de ter o reconhecimento e as mínimas condições de trabalho.
    Infelizmente essa situação está espalhada por todo país, e em nossa região as denúncias são inúmeras. Além das condições degradantes dos prédios, sem ventilação, sem segurança e muitas vezes com a rede elétrica tão antiga e sem manutenção. Faltam desde os EPI´s (Equipamentos de Proteção Individual) até mesas e materiais simples de trabalho, como bolsas, uniformes e até caneta! 


    (Fotos acima: CDD Satélite)
    A diretoria do Sintect-VP flagrou e fez registros fotográficos em algumas unidades durante as reuniões setoriais e visitas. Tais denúncias são importantíssimas para evitar acidentes com os trabalhadores e com todos que frequentam estes locais insalubres. 
    “Dar condições de trabalho é o mínimo que a empresa deve fazer depois de tanto explorar os ecetistas. A ECT já tem conhecimento desta situação mas não toma as devidas providências, não restando outra alternativa que não seja a luta e a união dos trabalhadores." declarou Marcílio Medeiros, presidente do Sintect-VP.
    CEE São José
    Dentre os locais insalubres, destacamos o CEE São José. O prédio possui instalações elétricas precárias, não tem climatização, tornando o ambiente arriscado e caótico. Confira as fotos:
     









    segunda-feira, 16 de março de 2015


    Infelizmente, de tempos em tempos surgem novas denúncias de racismo no mundo dos esportes e no futebol esta ocorrência tem sido frequente.

    Neste último domingo, dia 15 de março, o atacante Vitinho do Internacional procurou a imprensa para denunciar ofensas racistas que recebeu durante o aquecimento, atrás de um dos gols, durante o segundo tempo da partida contra o Brasil-Pel (Brasil de Pelotas), na Boca de Lobo. O jogador ouviu ofensas a sua mãe e palavras como "macaco". Até o momento, o jogador que cometeu a injúria racial não foi identificado.

    Neste mesmo fim de semana, o também  atacante Hulk (jogador brasieliro que atua no time Zenit da Rússia) foi vítima de racismo por parte dos torcedores do Torpedo Moscou.
    A torcida do Torpedo imitou sons de macaco nas arquibancadas, e Hulk revidou até que educadamente. Primeiro ele levou a mão à orelha como se não estivesse ouvindo as ofensas; depois, mandou beijos em direção aos torcedores.
    "O futebol deveria unir as pessoas e não dividí-las por diferentes razões",declarou o jogador durante entrevista. 
    "Esta não é a primeira vez que eu encontrei algo assim, mas a todo momento você tem que pedir que todos respeitem os jogadores, de novo e de novo." lamentou Hulk.
    Os insultos racistas estão por todo mundo. Por isso devemos combater o racismo e a opressão todos os dias em uma luta árdua a começar pelo seu local de trabalho, bairro e por fim, toda sociedade. O Sintect-VP está na luta contra o racismo e contra toda forma de opressão! 
    Fifa e CBF, exigimos punição aos casos de racismo!
    - Pelo fim do genocídio ao povo negro e trabalhador


    Racismo no futebol continua nos envergonhando. Atacante do Inter sofre racismo por parte da torcida do Brasil-Pel e Hulk é vítima de racismo na Rússia

    Postado As:  22:33  |  Em:    |  Mais informações »


    Infelizmente, de tempos em tempos surgem novas denúncias de racismo no mundo dos esportes e no futebol esta ocorrência tem sido frequente.

    Neste último domingo, dia 15 de março, o atacante Vitinho do Internacional procurou a imprensa para denunciar ofensas racistas que recebeu durante o aquecimento, atrás de um dos gols, durante o segundo tempo da partida contra o Brasil-Pel (Brasil de Pelotas), na Boca de Lobo. O jogador ouviu ofensas a sua mãe e palavras como "macaco". Até o momento, o jogador que cometeu a injúria racial não foi identificado.

    Neste mesmo fim de semana, o também  atacante Hulk (jogador brasieliro que atua no time Zenit da Rússia) foi vítima de racismo por parte dos torcedores do Torpedo Moscou.
    A torcida do Torpedo imitou sons de macaco nas arquibancadas, e Hulk revidou até que educadamente. Primeiro ele levou a mão à orelha como se não estivesse ouvindo as ofensas; depois, mandou beijos em direção aos torcedores.
    "O futebol deveria unir as pessoas e não dividí-las por diferentes razões",declarou o jogador durante entrevista. 
    "Esta não é a primeira vez que eu encontrei algo assim, mas a todo momento você tem que pedir que todos respeitem os jogadores, de novo e de novo." lamentou Hulk.
    Os insultos racistas estão por todo mundo. Por isso devemos combater o racismo e a opressão todos os dias em uma luta árdua a começar pelo seu local de trabalho, bairro e por fim, toda sociedade. O Sintect-VP está na luta contra o racismo e contra toda forma de opressão! 
    Fifa e CBF, exigimos punição aos casos de racismo!
    - Pelo fim do genocídio ao povo negro e trabalhador



    Os trabalhadores estão cada vez mais endividados e com menos dinheiro. Os que estão com a conta zerada já podem se considerar em vantagem aos que tem a conta negativa. Seria cômico se não fosse tão trágico!

    O Banco Central aumentou a taxa de juros de 11% para 11,25%. O preço da cesta básica aumentou em 14 capitais, a energia elétrica está inacreditavelmente alta, a gasolina subiu e as tarifas do transporte público também. Infelizmente esta situação deve piorar ainda mais pois a economia já estagnada, com isso a inflação só aumenta.

    O desemprego também cresceu, houve corte no seguro desemprego e o serviço terceirizado se transformou na única alternativa para boa parte dos trabalhadores. O governo e os patrões aproveitam da miséria do povo para flexibilizar os direitos trabalhistas e avançar nas terceirizações com o cruel discurso "Se não quer este emprego, está cheio de gente querendo e precisando".
    As mulheres e os negros e negras são os setores mais afetados pelo endividamento. As dívidas, juros e inflação corroem os salários.

    Segundo o site do DIEESE: http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html  - Para dar conta do sustento de uma família nestas situações, algo previsto em lei na nossa própria Constituição, o salário mínimo brasileiro deveria ser de R$ 3.182,81 (três mil, cento e oitenta e dois reais e oitenta e um centavos), mas o salário mínimo continua sendo uma verdadeira "bolsa miséria" de apenas R$ 788,00 (setecentos e oitenta e oito reais)

    É visível que estamos em período de forte crise econômica, causada pelos próprios empresários e governantes que agora querem que o povo trabalhador pague pela crise. É preciso lutar pelo aumento geral nos salários dos trabalhadores para sobrevivermos a esta crise!
    É preciso ainda combater a terceirização e lutar contra a privatização dos Correios. Por mais concurso público que crie empregos fixos com direitos e garantia de uma vida digna à todos. 
    Todos contra os ataques do governo!
    Todos contra as terceirizações!
    Todos contra a privatização dos Correios!
    Vamos à luta!

    A classe trabalhadora está toda sem dinheiro. Diante dos aumentos nos preços, salário mínimo deveria ser de R$ 3.182,81 segundo DIEESE

    Postado As:  21:44  |  Em:    |  Mais informações »


    Os trabalhadores estão cada vez mais endividados e com menos dinheiro. Os que estão com a conta zerada já podem se considerar em vantagem aos que tem a conta negativa. Seria cômico se não fosse tão trágico!

    O Banco Central aumentou a taxa de juros de 11% para 11,25%. O preço da cesta básica aumentou em 14 capitais, a energia elétrica está inacreditavelmente alta, a gasolina subiu e as tarifas do transporte público também. Infelizmente esta situação deve piorar ainda mais pois a economia já estagnada, com isso a inflação só aumenta.

    O desemprego também cresceu, houve corte no seguro desemprego e o serviço terceirizado se transformou na única alternativa para boa parte dos trabalhadores. O governo e os patrões aproveitam da miséria do povo para flexibilizar os direitos trabalhistas e avançar nas terceirizações com o cruel discurso "Se não quer este emprego, está cheio de gente querendo e precisando".
    As mulheres e os negros e negras são os setores mais afetados pelo endividamento. As dívidas, juros e inflação corroem os salários.

    Segundo o site do DIEESE: http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html  - Para dar conta do sustento de uma família nestas situações, algo previsto em lei na nossa própria Constituição, o salário mínimo brasileiro deveria ser de R$ 3.182,81 (três mil, cento e oitenta e dois reais e oitenta e um centavos), mas o salário mínimo continua sendo uma verdadeira "bolsa miséria" de apenas R$ 788,00 (setecentos e oitenta e oito reais)

    É visível que estamos em período de forte crise econômica, causada pelos próprios empresários e governantes que agora querem que o povo trabalhador pague pela crise. É preciso lutar pelo aumento geral nos salários dos trabalhadores para sobrevivermos a esta crise!
    É preciso ainda combater a terceirização e lutar contra a privatização dos Correios. Por mais concurso público que crie empregos fixos com direitos e garantia de uma vida digna à todos. 
    Todos contra os ataques do governo!
    Todos contra as terceirizações!
    Todos contra a privatização dos Correios!
    Vamos à luta!

    sexta-feira, 13 de março de 2015




    Ninguém aguenta mais tanta corrupção e a farra com o dinheiro público! Estamos assistindo o governo fatiar e privatizar nossas empresas. São estatais que deveriam ter objetivo social, servir de fato a população brasileira, mas que estão indo para as mãos de acionistas e de grandes empresários. 

    A Petrobrás, desde o governo de Fernando Henrique Cardoso do PSDB, começou a ser fatiada, abrindo caminho para a distribuição do nosso petróleo e para as corrupções que estamos presenciando mediante denúncias recentes. O governo do PT além de não parar com a privatização, ainda avançou mais, leiloando nosso petróleo, inclusive o pré-sal e ampliando as terceirizações na empresa. Agora a presidente Dilma Roussef anunciou a abertura do capital da Caixa Econômica Federal, já preparando o banco brasileiro para a privatização. E nos Correios... Já sabemos como a situação está. É sucateamento, perda de direitos dos funcionários e toda uma preparação até que a ECT seja totalmente privatizada, saindo das mãos e do controle do povo. 

    Sabemos que privatizações prejudicam toda a sociedade, e principalmente, os trabalhadores destas empresas. É hora de nos unirmos contra estes ataques do governo e contra a privatização das empresas públicas!  


    Jornada de lutas de 7 a 9 de abril
    No dia 20 de março, realizou-se em São Paulo mais uma reunião do Espaço Unidade de Ação. Diversas entidades de luta, tanto sindicais, quanto estudantis e do movimento popular, debateram a atual situação do país e houve acordo na construção de uma jornada de mobilização dos servidores públicos federais em conjunto com as demais categorias.
    Em nossa região, é preciso construir atos em conjunto com os trabalhadores bancários da Caixa Econômica Federal e com os trabalhadores da Petrobrás, empresas que estão sofrendo com os ataques direto do governo assim como os Correios.
    Precisamos conscientizar toda a população para que nos ajude nesta luta. Sabemos que somente agindo em unidade é que fortalecemos nossas lutas.


    Balcão de Negócios! Estão privatizando nossas empresas! PT, PSDB, PMDB farinhas do mesmo saco! A hora é de unirmos forças para barrar os ataques!

    Postado As:  21:41  |  Em:    |  Mais informações »




    Ninguém aguenta mais tanta corrupção e a farra com o dinheiro público! Estamos assistindo o governo fatiar e privatizar nossas empresas. São estatais que deveriam ter objetivo social, servir de fato a população brasileira, mas que estão indo para as mãos de acionistas e de grandes empresários. 

    A Petrobrás, desde o governo de Fernando Henrique Cardoso do PSDB, começou a ser fatiada, abrindo caminho para a distribuição do nosso petróleo e para as corrupções que estamos presenciando mediante denúncias recentes. O governo do PT além de não parar com a privatização, ainda avançou mais, leiloando nosso petróleo, inclusive o pré-sal e ampliando as terceirizações na empresa. Agora a presidente Dilma Roussef anunciou a abertura do capital da Caixa Econômica Federal, já preparando o banco brasileiro para a privatização. E nos Correios... Já sabemos como a situação está. É sucateamento, perda de direitos dos funcionários e toda uma preparação até que a ECT seja totalmente privatizada, saindo das mãos e do controle do povo. 

    Sabemos que privatizações prejudicam toda a sociedade, e principalmente, os trabalhadores destas empresas. É hora de nos unirmos contra estes ataques do governo e contra a privatização das empresas públicas!  


    Jornada de lutas de 7 a 9 de abril
    No dia 20 de março, realizou-se em São Paulo mais uma reunião do Espaço Unidade de Ação. Diversas entidades de luta, tanto sindicais, quanto estudantis e do movimento popular, debateram a atual situação do país e houve acordo na construção de uma jornada de mobilização dos servidores públicos federais em conjunto com as demais categorias.
    Em nossa região, é preciso construir atos em conjunto com os trabalhadores bancários da Caixa Econômica Federal e com os trabalhadores da Petrobrás, empresas que estão sofrendo com os ataques direto do governo assim como os Correios.
    Precisamos conscientizar toda a população para que nos ajude nesta luta. Sabemos que somente agindo em unidade é que fortalecemos nossas lutas.


    Parcerias-Ajuda-Contato
    Copyright © 2013 Traduzido Por: Template Para Blogspot by BloggerTheme9
    Proudly Powered by Blogger.
    back to top