Nossa Sede

Avenida Genésia B. Tarantino, 115 - Jardim Paulista - São José dos Campos/SP - Fone: 12 3302-5996


  • Grande Vitória!

    Trem da Alegria começa a ser pago aos trabalhadores!

  • Edição 86 #

    lEIA O JORNAL CORREIO DO TRABALHADOR

  • Demissão Irregular #

    Carteiro é reintegrado em Ubatuba

  • Lucro só aumenta:

    E a PLR?

  • segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

    O jovem Théo, de 22 anos, foi violentamente agredido pela polícia a 2 de Fevereiro, em Aulnay sous Bois, a norte de Paris. Sem justificativa, a polícia abordou quatro jovens negros que foram revistados, sofreram xingamentos racistas e agressões físicas. Câmeras de segurança registraram as cenas bárbaras da covardia policial. Théo Témoigne foi separado dos demais e foi estuprado por um dos policiais que usou um cassetete contra ele. 
    No percurso até a delegacia, as agressões e xingamentos continuaram. Théo sofreu tantos golpes que foi levado em estado grave ao hospital, teve de ser submetido a uma cirurgia, e as prováveis sequelas decorrentes do estupro ainda são incertas para os médicos. 
    A mídia evita dar destaque ao assunto e quando relata as notícias, fala em "suposto estupro” apesar das imagens, do relato da vítima e dos relatórios médicos.
    Além disso, o jovem negro também sofreu tortura genital durante o trajeto na viatura.

    França de muitas lutas

    O fato se tornou público, gerando comoção internacional e mobilizações radicalizadas na cidade onde ocorreu e também em outras regiões da França.  Jovens estudantes organizaram um protesto sob o título de "Justica para Théo", que começou com 2 mil participantes e segue aumentando dia após dia. A tortura dos jovens pela polícia desencadeou os protestos porque a população periférica da França está cansada de sofrer com os abusos da polícia, especialmente contra os negros.
    Milhares de jovens foram às ruas denunciando o caso e exigindo justiça e o fim da violência policial. Nas diversas cidades onde houve manifestações, elas foram reprimidas. Em diversos confrontos com a polícia francesa, centenas de jovens foram detidos por "desacato". Há muitas palavras de ordem nos muros franceses criticando a violência promovida pelo polícia a mando do Estado. Duas das principais são “sem justiça não haverá paz” e “policiais estupradores e assassinos”.
    Já que a mídia televisiva não dá devido destaque, nas redes sociais há uma ofensiva e a solidariedade internacional aos jovens, o apoio aos protestos e o repúdio ao governo francês e sua polícia tem postagens sob a hashtag #JusticePourTheo (Justiça Para Théo, em francês).

    Racismo e xenofobia todos os dias

    Nas periferias, há escolas com alunos que são todos filhos de refugiados. Esse fato reflete a situação socioeconômica precária vivida pelos imigrantes. Estas escolas perpetuam as desvantagens dos filhos de refugiados que só têm acesso ao currículo básico, enquanto nas escolas mais centrais, são oferecidos outro tipo de capacitação.
    A taxa de desemprego na França é grande mas entre os imigrantes é 8% maior.  Quando há emprego, os imigrantes ocupam os postos com as piores condições de trabalho.
    Nos próximos meses a França entrará em processo de eleição presidencial.  Preocupado com a repercussão, o presidente François Hollande fez uma visita surpresa a Théo Témoigne no hospital, na quinta-feira, dia 9, e o convenceu a pronunciar-se publicamente pedindo o fim dos protestos. 

    No Brasil

    A violência contra o povo pobre no Brasil não é diferente. Até hoje queremos resposta sobre “onde está o Amarildo?”, trabalhador negro capturado, torturado e desaparecido por policiais no Rio de Janeiro. Como dizia Malcom-X: “não há capitalismo sem racismo”. Numa conjuntura de crise econômica e guerras, os mais pobres, negros, mulheres, imigrantes e LGBTs são os mais vulneráveis. 
    É preciso dizer um basta e ampliar as lutas e a solidariedade: #aClasseTrabalhadoraéInternacional #justicepourtheo! 

    Protestos crescem na França contra a violência policial, racismo e opressão

    Postado As:  08:55  |  Em:    |  Mais informações »

    O jovem Théo, de 22 anos, foi violentamente agredido pela polícia a 2 de Fevereiro, em Aulnay sous Bois, a norte de Paris. Sem justificativa, a polícia abordou quatro jovens negros que foram revistados, sofreram xingamentos racistas e agressões físicas. Câmeras de segurança registraram as cenas bárbaras da covardia policial. Théo Témoigne foi separado dos demais e foi estuprado por um dos policiais que usou um cassetete contra ele. 
    No percurso até a delegacia, as agressões e xingamentos continuaram. Théo sofreu tantos golpes que foi levado em estado grave ao hospital, teve de ser submetido a uma cirurgia, e as prováveis sequelas decorrentes do estupro ainda são incertas para os médicos. 
    A mídia evita dar destaque ao assunto e quando relata as notícias, fala em "suposto estupro” apesar das imagens, do relato da vítima e dos relatórios médicos.
    Além disso, o jovem negro também sofreu tortura genital durante o trajeto na viatura.

    França de muitas lutas

    O fato se tornou público, gerando comoção internacional e mobilizações radicalizadas na cidade onde ocorreu e também em outras regiões da França.  Jovens estudantes organizaram um protesto sob o título de "Justica para Théo", que começou com 2 mil participantes e segue aumentando dia após dia. A tortura dos jovens pela polícia desencadeou os protestos porque a população periférica da França está cansada de sofrer com os abusos da polícia, especialmente contra os negros.
    Milhares de jovens foram às ruas denunciando o caso e exigindo justiça e o fim da violência policial. Nas diversas cidades onde houve manifestações, elas foram reprimidas. Em diversos confrontos com a polícia francesa, centenas de jovens foram detidos por "desacato". Há muitas palavras de ordem nos muros franceses criticando a violência promovida pelo polícia a mando do Estado. Duas das principais são “sem justiça não haverá paz” e “policiais estupradores e assassinos”.
    Já que a mídia televisiva não dá devido destaque, nas redes sociais há uma ofensiva e a solidariedade internacional aos jovens, o apoio aos protestos e o repúdio ao governo francês e sua polícia tem postagens sob a hashtag #JusticePourTheo (Justiça Para Théo, em francês).

    Racismo e xenofobia todos os dias

    Nas periferias, há escolas com alunos que são todos filhos de refugiados. Esse fato reflete a situação socioeconômica precária vivida pelos imigrantes. Estas escolas perpetuam as desvantagens dos filhos de refugiados que só têm acesso ao currículo básico, enquanto nas escolas mais centrais, são oferecidos outro tipo de capacitação.
    A taxa de desemprego na França é grande mas entre os imigrantes é 8% maior.  Quando há emprego, os imigrantes ocupam os postos com as piores condições de trabalho.
    Nos próximos meses a França entrará em processo de eleição presidencial.  Preocupado com a repercussão, o presidente François Hollande fez uma visita surpresa a Théo Témoigne no hospital, na quinta-feira, dia 9, e o convenceu a pronunciar-se publicamente pedindo o fim dos protestos. 

    No Brasil

    A violência contra o povo pobre no Brasil não é diferente. Até hoje queremos resposta sobre “onde está o Amarildo?”, trabalhador negro capturado, torturado e desaparecido por policiais no Rio de Janeiro. Como dizia Malcom-X: “não há capitalismo sem racismo”. Numa conjuntura de crise econômica e guerras, os mais pobres, negros, mulheres, imigrantes e LGBTs são os mais vulneráveis. 
    É preciso dizer um basta e ampliar as lutas e a solidariedade: #aClasseTrabalhadoraéInternacional #justicepourtheo! 

    sexta-feira, 11 de novembro de 2016


    Assembleia dia 21 de novembro, segunda-feira

    Horário: 18:30h (Primeira Chamada)
                      19h (Segunda Chamada)

    Local: Sede do Sinect-VP: Avenida Genésia B. Tarantino, 115 - Jardim Paulista - São José dos Campos/SP - Fone: 12 3302-5996

    Pauta:
    - Informes Gerais
    - Chamado da CSP-Conutas para o dia 25 de novembro – Dia Nacional de Protestos, Paralisações e Greves:
    - Eleição de delegado (a) ao Congresso de Negros e Negras de 9 à 11 de dezembro no RJ.

    Anote na agenda: Assembleia Geral Extraordinária

    Postado As:  07:56  |  Em:    |  Mais informações »


    Assembleia dia 21 de novembro, segunda-feira

    Horário: 18:30h (Primeira Chamada)
                      19h (Segunda Chamada)

    Local: Sede do Sinect-VP: Avenida Genésia B. Tarantino, 115 - Jardim Paulista - São José dos Campos/SP - Fone: 12 3302-5996

    Pauta:
    - Informes Gerais
    - Chamado da CSP-Conutas para o dia 25 de novembro – Dia Nacional de Protestos, Paralisações e Greves:
    - Eleição de delegado (a) ao Congresso de Negros e Negras de 9 à 11 de dezembro no RJ.

    A Coordenação Nacional de nossa Central, aprovou em sua reunião realizada de 21 a 23 de outubro,
    impulsionar a Jornada de Lutas proposta pelas centrais sindicais.


    Neste mês de novembro, há um importante calendário de lutas em unidade com outras centrais pelo país, rumo a Greve Geral que derrote os projetos do governo Temer que atacam duramente os (as) trabalhadores (as).


    Hoje, dia 11 de novembro, acontecem protestos  como um “esquenta” para o grande dia de mobilizações.


     Dia 20 – Consciência Negra - Haverá a Marcha da Periferia, além de atividades durante todo o mês de novembro para marcar a luta contra o racismo no país e por direitos de negras e negros.


    Dia 25 de novembro – Dia Nacional de Protestos, Paralisações e Greves: Diversos setores, entre eles, metalúrgicos, operários da construção civil, petroleiros, trabalhadores da mineração, dos Correios, químicos e outros, já confirmaram a adesão ao dia de lutas, além de ações conjuntas com o movimento popular e estudantil.


    Também haverá a luta contra a violência às mulheres como parte do Dia Latino-americano Contra à Violência à Mulher, no mesmo 25 de novembro.


    O Sintect-VP esteve nesta reunião da Coordenação, como sempre faz e estará nas lutas  em apoio aos estudantes, em cada local de trabalho, nas lutas por moradia digna e defendendo uma Greve Geral, já!

    É hora de ir à luta! Coordenação da CSP-Conlutas aprova jornada de lutas para este mês!

    Postado As:  07:52  |  Em:    |  Mais informações »

    A Coordenação Nacional de nossa Central, aprovou em sua reunião realizada de 21 a 23 de outubro,
    impulsionar a Jornada de Lutas proposta pelas centrais sindicais.


    Neste mês de novembro, há um importante calendário de lutas em unidade com outras centrais pelo país, rumo a Greve Geral que derrote os projetos do governo Temer que atacam duramente os (as) trabalhadores (as).


    Hoje, dia 11 de novembro, acontecem protestos  como um “esquenta” para o grande dia de mobilizações.


     Dia 20 – Consciência Negra - Haverá a Marcha da Periferia, além de atividades durante todo o mês de novembro para marcar a luta contra o racismo no país e por direitos de negras e negros.


    Dia 25 de novembro – Dia Nacional de Protestos, Paralisações e Greves: Diversos setores, entre eles, metalúrgicos, operários da construção civil, petroleiros, trabalhadores da mineração, dos Correios, químicos e outros, já confirmaram a adesão ao dia de lutas, além de ações conjuntas com o movimento popular e estudantil.


    Também haverá a luta contra a violência às mulheres como parte do Dia Latino-americano Contra à Violência à Mulher, no mesmo 25 de novembro.


    O Sintect-VP esteve nesta reunião da Coordenação, como sempre faz e estará nas lutas  em apoio aos estudantes, em cada local de trabalho, nas lutas por moradia digna e defendendo uma Greve Geral, já!

    segunda-feira, 24 de outubro de 2016


    O CEE São José dos Campos se tornou um possível grande criadouro do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunhya e vírus da Zica.

    O Sintect-VP fotografou poças dágua de chuva no chão esburacado da unidade, além de CDL´s

    "É inadmissível que o local de trabalho seja um local perigoso com riscos à saúde e à vida dos (as) ecetistas. Em meio a toda uma campanha de conscientização e em tempos de epidemia, a ECT deve colaborar." Declarou Marcílio Medeiros, vice presidente do Sintect-VP

    Foram flagrados diversos possíveis criadouros e a denúncia já foi protocolada.

    Com tempo quente e descaso, CEE SJCampos vira possível criadouro do mosquito Aedes

    Postado As:  12:18  |  Em:    |  Mais informações »


    O CEE São José dos Campos se tornou um possível grande criadouro do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunhya e vírus da Zica.

    O Sintect-VP fotografou poças dágua de chuva no chão esburacado da unidade, além de CDL´s

    "É inadmissível que o local de trabalho seja um local perigoso com riscos à saúde e à vida dos (as) ecetistas. Em meio a toda uma campanha de conscientização e em tempos de epidemia, a ECT deve colaborar." Declarou Marcílio Medeiros, vice presidente do Sintect-VP

    Foram flagrados diversos possíveis criadouros e a denúncia já foi protocolada.


    O Sintect-VP denuncia a situação de abandono do CDD Guaratinguetá que está oferecendo riscos para quem frequenta o local.

    A unidade coleciona muita sujeira, mato e até escorpiões, cobras, ratos e outros animais peçonhentos. Sequer a limpeza do local é feita.

    Isso sem falar na estrutura da unidade que, diante de tantos problemas, a direção da empresa nem mesmo toca no assunto das condições do prédio e nada é resolvido.



    O CDD mais parece um pântano do que uma unidade de trabalho.

    Diariamente os trabalhadores (as) lidam com este e outros problemas como a falta de efetivo e péssimas condições de trabalho.

    O Sintect-VP registrou as condições do local e irá tomar medidas mais drásticas para que a direção da empresa enxergue a gravidade do que acontece neste CDD.

    A saúde e a vida do trabalhador (a) deve estar acima de quaisquer outro interesse.

    Confiram as fotos da unidade:


    Abandonado pela ECT, CDD Guará oferece risco de morte aos trabalhadores (as)

    Postado As:  12:04  |  Em:    |  Mais informações »


    O Sintect-VP denuncia a situação de abandono do CDD Guaratinguetá que está oferecendo riscos para quem frequenta o local.

    A unidade coleciona muita sujeira, mato e até escorpiões, cobras, ratos e outros animais peçonhentos. Sequer a limpeza do local é feita.

    Isso sem falar na estrutura da unidade que, diante de tantos problemas, a direção da empresa nem mesmo toca no assunto das condições do prédio e nada é resolvido.



    O CDD mais parece um pântano do que uma unidade de trabalho.

    Diariamente os trabalhadores (as) lidam com este e outros problemas como a falta de efetivo e péssimas condições de trabalho.

    O Sintect-VP registrou as condições do local e irá tomar medidas mais drásticas para que a direção da empresa enxergue a gravidade do que acontece neste CDD.

    A saúde e a vida do trabalhador (a) deve estar acima de quaisquer outro interesse.

    Confiram as fotos da unidade:


    segunda-feira, 29 de agosto de 2016


    A presidente afastada Dilma Rousseff do PT, discursou por 46 minutos em defesa própria no julgamento do impeachment no Senado, na manhã desta segunda-feira, dia 29, Dilma disse que é alvo de um golpe e que não cometeu os crimes de responsabilidade pelos quais é acusada. 
    O presidente em exercício, Michel Temer do PMDB, não compareceu mas disse que acompanhou o discurso todo pela TV.
    O processo está previsto para se estender até terça-feira, dia 30, quando deve acontecer a votação no Senado, e serão necessários 54 votos para aprovação do impeachment. 

    Se isso acontecer, Dilma será afastada definitivamente e ficará inelegível por oito anos a partir de 2019. Caso contrário, ela reassume a Presidência imediatamente.

    Que diferença isso faz para a classe trabalhadora?
    Os trabalhadores (as) e o povo pobre só devem ter esperanças em dias melhores caso haja uma grande greve geral que coloque para fora todos os corruptos e que existam nova eleições com novas regras eleitorais. 
    Seja Temer do PMDB ou Dilma do PT na Presidência, os direitos dos trabalhadores estarão na mira, como no caso da reforma da previdência e da perda dos direitos trabalhistas básicos que conquistamos com muita luta.
    Só a luta muda a vida! Porém é interessante acompanhar todo esse processo para que se conheça quem é quem no jogo político. 
    Nos Correios, o processo de privatização já vem sendo implementado por governos anteriores, mas se intensificou agora com a crise política escancarada.

      Acontece neste momento o julgamento do Impeachment de Dilma do PT

      Postado As:  08:41  |  Em:    |  Mais informações »


      A presidente afastada Dilma Rousseff do PT, discursou por 46 minutos em defesa própria no julgamento do impeachment no Senado, na manhã desta segunda-feira, dia 29, Dilma disse que é alvo de um golpe e que não cometeu os crimes de responsabilidade pelos quais é acusada. 
      O presidente em exercício, Michel Temer do PMDB, não compareceu mas disse que acompanhou o discurso todo pela TV.
      O processo está previsto para se estender até terça-feira, dia 30, quando deve acontecer a votação no Senado, e serão necessários 54 votos para aprovação do impeachment. 

      Se isso acontecer, Dilma será afastada definitivamente e ficará inelegível por oito anos a partir de 2019. Caso contrário, ela reassume a Presidência imediatamente.

      Que diferença isso faz para a classe trabalhadora?
      Os trabalhadores (as) e o povo pobre só devem ter esperanças em dias melhores caso haja uma grande greve geral que coloque para fora todos os corruptos e que existam nova eleições com novas regras eleitorais. 
      Seja Temer do PMDB ou Dilma do PT na Presidência, os direitos dos trabalhadores estarão na mira, como no caso da reforma da previdência e da perda dos direitos trabalhistas básicos que conquistamos com muita luta.
      Só a luta muda a vida! Porém é interessante acompanhar todo esse processo para que se conheça quem é quem no jogo político. 
      Nos Correios, o processo de privatização já vem sendo implementado por governos anteriores, mas se intensificou agora com a crise política escancarada.

        terça-feira, 19 de julho de 2016


        Michel Temer do PMDB, planeja muitos ataques à classe trabalhadora e ao povo pobre. A CSP-Conlutas e o Sintect-VP já aprovaram uma campanha pelo "Fora Temer" e as lutas contra a retirada de direitos. O Fórum de Lutas do Vale do Paraíba organizou um ato para  esta quarta-feira, dia 20, às 10h, na Praça Afonso Pena, em São José, em um ato em defesa da previdência e para que "Temer, tire as mãos dos nossos direitos"Participarão desta manifestação o Sintect-VP, Sindicatos dos Metalúrgicos, Químicos e dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Estado de São Paulo (Sinsprev/SP), além da Associação Democrática dos Aposentados e Pensionistas (Admap) e da CSP-Conlutas.
        Assim como fazem nos Correios, colocando a culpa da crise nos trabalhadores (as), o governo quer culpar os (as) aposentados (as) pela crise na previdência, declarando que existe um déficit por haver mais aposentados do que trabalhadores na ativa. Com essa desculpa, querem rever benefícios concedidos há mais de dois anos. Com isso, os segurados podem ser convocados para uma nova perícia no INSS e ter seu direito cortado. Mas, o governo esconde que desvia anualmente bilhões de reais da Previdência através da DRU (Desvinculação das Receitas da União) para o bolso dos banqueiros, pagando a tal da "dívida pública".

        Todos ao ato em defesa da nossa Previdência!

        Postado As:  13:48  |  Em:    |  Mais informações »


        Michel Temer do PMDB, planeja muitos ataques à classe trabalhadora e ao povo pobre. A CSP-Conlutas e o Sintect-VP já aprovaram uma campanha pelo "Fora Temer" e as lutas contra a retirada de direitos. O Fórum de Lutas do Vale do Paraíba organizou um ato para  esta quarta-feira, dia 20, às 10h, na Praça Afonso Pena, em São José, em um ato em defesa da previdência e para que "Temer, tire as mãos dos nossos direitos"Participarão desta manifestação o Sintect-VP, Sindicatos dos Metalúrgicos, Químicos e dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Estado de São Paulo (Sinsprev/SP), além da Associação Democrática dos Aposentados e Pensionistas (Admap) e da CSP-Conlutas.
        Assim como fazem nos Correios, colocando a culpa da crise nos trabalhadores (as), o governo quer culpar os (as) aposentados (as) pela crise na previdência, declarando que existe um déficit por haver mais aposentados do que trabalhadores na ativa. Com essa desculpa, querem rever benefícios concedidos há mais de dois anos. Com isso, os segurados podem ser convocados para uma nova perícia no INSS e ter seu direito cortado. Mas, o governo esconde que desvia anualmente bilhões de reais da Previdência através da DRU (Desvinculação das Receitas da União) para o bolso dos banqueiros, pagando a tal da "dívida pública".

        Parcerias-Ajuda-Contato
        Copyright © 2013 Traduzido Por: Template Para Blogspot by BloggerTheme9
        Proudly Powered by Blogger.
        back to top